Vítimas de queda de avião no Pará serão identificadas por exame de DNA

Corpos dos dez mortos em acidente em Monte Dourado devem chegar a Belém até o final da tarde

Carlos Mendes, Especial para o Estado

13 Março 2013 | 13h23

Belém - Os corpos carbonizados das dez vítimas da queda de um avião bimotor na noite de terça-feira a cerca de 4 quilômetros do aeroporto da cidade de Monte Dourado, distrito de Almeirim, no oeste do Pará, devem chegar a Belém até o final da tarde desta quarta, segundo informações do Centro de Perícias Renato Chaves. Eles serão identificados por meio de exame de DNA no Instituto Médico Legal (IML). Dois peritos criminais e quatro auxiliares de remoção, que estiveram no local do acidente, na manhã desta quinta, ajudaram no resgate das vítimas.

Em nota, a empresa Fretax Aéreo, responsável pelo avião, informou que um tripulante e nove passageiros morreram no acidente. Os passageiros eram operários que trabalhavam na construção de uma barragem na região da Hidrelétrica Santo Antônio do Jari. O Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) encontrou os destroços do bimotor na mata e ainda não tem informações sobre os motivos da queda.

A Fretax sustenta que o avião estava em dia com as revisões mecânica e elétrica, e o piloto com habilitação e exame médico regularizados.

Mais conteúdo sobre:
queda de avião vítimas dna Monte Dourado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.