Vizinhos do Metrô Pinheiros podem voltar a 32 imóveis

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), contratado para investigar o acidente na futura Estação Pinheiros do Metrô de São Paulo, divulgou na terça-feira que 32 dos 74 imóveis desocupados pela Defesa Civil estão estabilizados e já podem receber moradores de volta. São dois prédios com 21 apartamentos e 11 casas. A Subprefeitura de Pinheiros fará uma análise sobre as condições das unidades e definir os reparos.O subprefeito Nilton Nachle recebeu os laudos em reunião com representantes do IPT, da Secretaria da Justiça e da Defensoria Pública. A partir desta quinta-feira, 8, os moradores de quatro casas na Rua Gilberto Sabino e de outra na Rua Capri começarão a receber notificações para acompanhar a vistoria em suas residências.Eles poderão contratar empresas de sua confiança para fazer o orçamento dos reparos necessários, com a conta paga pelo Consórcio Via Amarela - formado pelas empreiteiras Odebrecht, OAS, Camargo Corrêa, Queiroz Galvão e Andrade Gutierrez.Os outros imóveis liberados devem render mais discussão. Eles ficam no "triângulo" formado pelas Ruas Capri, Gilberto Santino e Pereira Pinto - onde 13 imóveis já foram condenados. Os moradores não querem retornar. Defensores públicos irão negociar para que o Consórcio Via Amarela compre todos esses imóveis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.