Volta de Delúbio faz Palmeira deixar o PT

Um dos fundadores do PT, o ex-deputado federal Vladimir Palmeira (RJ) decidiu deixar a legenda em protesto contra a readmissão do ex-tesoureiro do partido, Delúbio Soares. Palmeira, que atuou no movimento estudantil durante a ditadura militar, disse que se sentiu "logrado" pela executiva nacional petista, que havia expulsado Delúbio por seu envolvimento no escândalo do mensalão, em 2005, mas aceitou seu retorno à sigla, no mês de abril.

Bruno Boghossian / RIO, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2011 | 00h00

"O partido renegou o que havia decidido há seis anos. Nós fomos para a linha de frente para defender o partido, que havia decidido expulsá-lo. Agora, quando o partido volta atrás, você fica sem cara", disse.

Segundo Palmeira, que é economista e professor, o retorno do ex-tesoureiro ao partido "é uma demonstração de que o PT está evoluindo mal", o que teria tornado sua permanência na sigla insustentável.

"Hoje, o partido não tem mais tendências políticas. Você tem uma divisão constante em grupos com interesses pontuais, que votam como bem entendem, como foi o caso do debate do Código Florestal", afirmou Palmeira. "Acredito que esses problemas ainda vão se agravar e é por isso que eu estou saindo."

Mudança. O ex-deputado disse que ainda não decidiu se vai se filiar a outra legenda, mas descartou retornar ao PT. Para Palmeira, as divisões dentro da legenda prejudicam os projetos do governo Dilma Rousseff. "A falta de unidade do PT certamente prejudica o governo. Todo partido muda quando chega ao governo, mas nesse caso, a mudança foi institucional demais", disse o ex-deputado.U

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.