Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Volume de ações locatícias cai 13,5% com greve em SP

A greve do Judiciário continua a influenciar o volume de ações de locação registradas no Tribunal de Justiça de São Paulo. Em agosto, de acordo com levantamento do Secovi-SP junto ao Departamento Técnico de Primeira Instância e Divisão Técnica de Distribuição Cível da Comarca, houve redução de 13,5% no volume de ações locatícias distribuídas em relação ao mês anterior. Em agosto, foram registradas 558 ações, ante as 645 verificadas em julho. Naquele mês, o volume distribuído já havia ficado 69% abaixo do que foi apurado em junho.Para o vice-presidente do Secovi-SP, Sergio Luiz Abrantes Lembi, a situação exige providências urgentes por parte das autoridades competentes. "Com a greve, ações de despejo por falta de pagamento, revisionais e outras não estão sendo julgadas e outras sequer conseguem dar entrada. A expectativa é de explosão no volume de pedidos assim que a greve acabar, o que tornará ainda mais lento o processo de citação dos inadimplentes, prejudicando duplamente os locadores de imóveis", alerta Lembi, em nota distribuída pela entidade.No mês passado, as ações por falta de pagamento, responsáveis por cerca de 87,1% do volume total de ações locatícias registradas, tiveram queda de 13,7% em relação a julho. As ações ordinárias, que tiveram participação de 6,8% no total das ações, sofreram variação de 5,6%. As renovatórias, cuja participação aproximada foi de 3,9%, registraram queda de 43,6% e as consignatórias (participação aproximada de 2,15%) apresentaram maior variação positiva, de 71,4%.Na comparação com agosto de 2003, de acordo com o Secovi-SP, houve redução de 77,3% no volume de ações locatícias, de 2.459 ações no ano passado para 558. As ações por falta de pagamento tiveram destaque pela maior queda, com variação de 79%. As ações ordinárias variaram 59,6% na comparação com o mesmo período do ano anterior, as renovatórias caíram 29% e as consignatórias, 50%.Segundo o levantamento do Secovi-SP, considerando-se o acumulado nos oito meses deste ano, na comparação com o mesmo período de 2003, houve diminuição de 30,6% no número de ações locatícias registradas, ocasionada pela queda de 31,3% no número de ações por falta de pagamento, que possuem maior participação no total de ações. As ações renovatórias apresentaram variação negativa de 5,02%. As consignatórias registraram queda de 36,4% e as ordinárias, de 22,8%.

Agencia Estado,

22 de setembro de 2004 | 13h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.