AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Voo 447 reportou pane antes de desaparecer dos radares

Air France diz ter recebido dados de curto circuito do aparelho que fazia trajeto Rio-Paris com 228 a bordo

01 de junho de 2009 | 11h21

Familiares chegam ao aeroporto Charles de Gaulle, em Paris. Foto: Reuters

 

SÃO PAULO - Um voo da Air France que fazia o trajeto entre Rio e Paris desapareceu no Oceano Atlântico com 228 pessoas a bordo, 216 passageiros e 12 tripulantes. O Airbus A330-200 partiu do aeroporto internacional Tom Jobim (Galeão) às 19h de domingo e deveria ter pousado no aeroporto de Charles de Gaulle (Paris) às 6h15 em Brasília (11h15 de segunda-feira, hora local). Poucas horas antes de sumir dos radares que acompanhavam o voo, o avião informou a ocorrência de um curto-circuito em seu equipamento elétrico.

 

Veja também:

blog Acompanhe a cobertura pelo blog Tempo Real

Acompanhe as últimas sobre o voo 447 da Air France pelo Twitter @estadao

Anac monta sala no Galeão para familiares; veja telefones de contato

Airbus pode ter sido atingido por raio durante tempestade

Maioria dos passageiros do voo 447 é de brasileiros, diz França

Brasil mobiliza três aviões e três barcos na busca

Conheça o Airbus A330 desaparecido no trajeto Rio-Paris

Airbus registra acidente com A330-200 pela primeira vez

som Podcast: Especialista não tem dúvidas de que avião da Air France caiu no mar

som Podcast: Coronel da FAB fala sobre o desaparecimento do avião da Air France

lista Relembre a cronologia dos piores acidentes aéreos dos últimos dez anos

mais imagens Veja Galeria de fotos

 

A última localização do avião é desconhecida. O último contato com o Centro de Controle de Área Atlântico (Cindacta 3) foi feito a 565 quilômetros de Natal. Às 22h48, quando a aeronave saiu da cobertura radar do Cindacta 3, as informações indicavam que o avião voava normalmente a 35.000 pés (11 quilômetros) de altitude e a uma velocidade de 840 km/h, segundo a FAB. "Já tinha passado por (Fernando de) Noronha às 22h33. Uma hora depois o avião teria que fazer contato por rádio novamente e nesse momento não fez esse contato", disse a assessoria da Força Aérea Brasileira (FAB). "Em função disso entramos em contato com a Ilha do Sal (Cabo Verde). A aeronave também não fez nenhum tipo de contato com eles e nem apareceu no radar", acrescentou. O conjunto dos controles aéreos civis brasileiro, africano, espanhol e francês tentaram em vão estabelecer contato com o voo AF 447. O controle aéreo militar francês tentou detectar o avião, sem sucesso.

 

 

 

"Provavelmente estamos diante de uma catástrofe", disse o executivo-chefe da Air France, Pierre-Henri Gourgeon, a jornalistas em Paris. Segundo o ministro dos Transportes da França, Jean-Louis Borloo, as inquietações são as mais graves. "Infelizmente tememos o pior, a situação é alarmante". Segundo Borloo, o avião já pode ter ficado sem combustível. "Neste ponto ele estaria sem as reservas de combustível então infelizmente nós precisamos agora imaginar o cenário mais trágico", afirmou ele, de acordo com a agência de notícias Reuters.

 

A Air France disse que os pilotos tinham grande experiência. O comandante tem 11 mil horas de voo e já tinha efetuado 1.700 horas no Airbus A330/A340. Os dois copilotos possuem: um 3 mil horas de voo, sendo 800 horas em Airbus A330/A340 e o outro 6600, sendo 2 600 em Airbus A330/A340. O avião tem um total de 18.870 horas de voo e começou a operar em 18 de abril de 2005, sendo que a última visita de manutenção em hangar foi feita em 16 de abril de 2009.

 

O avião levava 216 passageiros - 126 homens, 82 mulheres 7 crianças e um bebê - e 12 tripulantes. "Normalmente são muitos brasileiros. Nesses voos, em média, 50% são brasileiros e 50% estrangeiros", disse à Reuters Antônio Jorge Assunção, gerente da Air France no aeroporto Tom Jobim.

 

Um avião militar francês deixou uma base no Senegal para participar das buscas da aeronave da Air France. A aeronave será usada nas buscas, um Breguet Atlantique, partiu da principal base militar francesa em Dacar. O Atlantique é um avião de reconhecimento de longo alcance. A Força Aérea Brasileira também foi mobilizada para iniciar as buscas do avião e enviou dois aviões - P95 e C130 - com equipes especializadas em busca e resgate para a região do arquipélago de Fernando de Noronha.

 

 

Contato para familiares

 

A companhia disponibilizou números para atendimento aos familiares. No Brasil, os número de contato são para o Rio de Janeiro: (21) 3212-1806, (21) 3212-1884, (21) 3212-1889, (21) 3212-1894; Para todo o Brasil: 0800 881 2020. Na França, o número para contato é 0800 800 812. Parentes fora da França podem tentar em contato pelo número 33 1 57 02 10 55. O site da companhia é http://www.airfrance.com.br/.

 

A ANAC também disponibilizou dois telefones exclusivos para que os familiares obtenham informações: (61) 3366-9303 e (61) 3366-9307. A Anac ressalta que os telefones são exclusivos para atender familiares dos passageiros deste voo.

 

(Com Isabel Sobral e Andrei Netto, de O Estado de S. Paulo, Fabiana Marchezi, do estadao.com.br, e Reuters)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.