Vôo que fez pouso forçado na Venezuela chega ao Brasil

Os 245 passageiros do Boeing 777, que saiu de Miami, nos EUA, na manhã de sexta-feira e fez um pouso forçado na Venezuela, desembarcaram no fim da manhã deste sábado, em São Paulo. O avião da American Airlines pousou no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em Cumbica, às 11h45, segundo informações da Infraero. A chegada a São Paulo estava prevista para as 10h30 de sexta-feira.Na manhã de sexta-feira, o avião que trazia os passageiros para o Brasil fez um pouso forçado no Aeroporto Internacional Simón Bolivar, em Maiquetía, a 80 km de Caracas, na Venezuela. Nenhum dos passageiros - parte deles brasileiros que voltavam de férias na Disney - ficou ferido.Segundo a companhia, o comandante decidiu aterrissar depois de sentir um forte cheiro de queimado na cabine, possivelmente causado por pane nos circuitos elétricos de áudio. A empresa não informou o número exato de brasileiros a bordo. O incidente ocorreu por volta das 3 horas de sexta-feira (1 hora de Brasília). Após uma vistoria técnica, autoridades aeronáuticas venezuelanas liberaram o piloto para retornar com o Boeing para Miami, onde a aeronave passará por manutenção. Os passageiros, porém, não tiveram a mesma sorte. Foram obrigados a permanecer no aeroporto, esperando vagas nos vôos que os levariam de volta aos Estados Unidos.Falta de informações"O piloto disse que seria apenas uma parada técnica, mas, quando descemos em Caracas, o avião foi cercado por vários carros dos bombeiros", disse a publicitária Daniela Pessoa Chuahy, de 31 anos, que passava férias nos Estados Unidos. "Como ninguém da tripulação dizia o que estava acontecendo, as crianças ficaram assustadas e muitas começaram a chorar?.No Brasil, parentes de outros passageiros do vôo 995 também se queixavam da falta de informações. "Minha filha Priscila disse que os passageiros não receberam orientação da American Airlines no Aeroporto de Caracas até 45 minutos atrás (18h15 pelo horário de Brasília)", protestou o engenheiro Bernardo Fernandes Gaspar, de 61 anos, pai da corretora de shoppings Priscila Daher Gaspar. "Queremos que a empresa dê informações e suporte aos passageiros?.Questionada sobre a reclamação, a American Airlines disse que um agente que fala português foi destacado para auxiliar os passageiros. "Não havia vagas em hotéis da região, mas todos os passageiros receberam assistência", afirmou a porta-voz da companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.