Voos atrasam no País e Anac vai autuar a Gol

Empresa concentrou 75% das ocorrências; passageiros relataram até 20 horas de espera

Mônica Reolom e Laura Maia de Castro, O Estado de S.Paulo

07 Dezembro 2013 | 16h38

Texto atualizado às 21h30

Passageiros enfrentaram neste sábado, 7, um dia de caos nos principais aeroportos do País. O índice de atrasos e cancelamentos, medido pela Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), chegou a 29,6% dos voos até as 21 horas. O problema se concentrou na Gol, que respondeu por 433 voos ou 75% do total das partidas fora do horário e dos cancelamentos.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou neste sábado que vai autuar a Gol pelos atrasos. A empresa afirmou, por meio de nota, que seu problema foi desencadeado pelas chuvas que atingiram Rio e São Paulo na noite de quinta-feira.

A falta de condições para pousos e decolagens fez algumas tripulações alcançar o limite máximo de horas de trabalho, impossibilitando-as de continuar voando (leia mais abaixo). Os atrasos provocaram um efeito dominó. Com a diminuição de funcionários disponíveis, porque a companhia teve de respeitar os limites legais da carga horária da categoria, os aviões ficaram retidos no solo.

Nas redes sociais, usuários chegaram a relatar mais de 20 horas de atrasos. No Aeroporto Santos Dumont, no Rio, a fila  para despachar as malas neste sábado ultrapassou em 200 metros a delimitação dos guichês.

No Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, o balcão da Gol estava lotado de passageiros cobrando informações sobre os voos na tarde deste sábado. O bancário Gustavo Meirelles, de 36 anos, seria padrinho de um casamento em Vitória, Espírito Santo, mas o voo, previsto para as 12h50, não havia decolado até às 17h20. "Vou entrar com uma ação contra a Gol. Já até falei com meu advogado", disse.

Segundo ele, o posto da Anac, no aeroporto estava fechado. "É um absurdo. A agência, a quem poderíamos recorrer, não está trabalhando."

 

 

Uma mulher de 30 anos chorou e discutiu quando uma funcionária da empresa informou que ela só poderia embarcar para o Recife às 9h30 da manhã de hoje. Seu voo estava previsto para as 13h28 de sábado. "Me disseram que o voo será só amanhã (hoje) e que o hotel é por minha conta", reclamou.

A mulher afirma que não foi avisada nem orientada pelos funcionários a embarcar quando seu voo saiu com algumas horas de atraso. Como o avião havia partido, a Gol não se responsabilizava pela acomodação. Outras pessoas também se queixavam de falta de informação.

Autuação. A Anac disse que vai autuar a Gol por falhas na prestação de assistência a passageiros com voos atrasados. "Fiscais da agência estão monitorando a situação desde sábado (sexta) em São Paulo e desde o início de hoje (sábado), em Brasília. A multa prevista nos autos pode variar de R$ 4 mil a R$ 10 mil por infração."

A agência vai notificar a TAM, que terá 10 dias para comprovar a prestação de assistência aos passageiros no Aeroporto de Guarulhos. Sobre o posto de Congonhas, a agência confirmou que só funciona em dias úteis. Nos demais, deve-se "usar o 0800-725-4445 ou o site www.anac.gov.br". A TAM afirmou que não se manifestaria até ser notificada. / COLABOROU THAISE CONSTANCIOL

Mais conteúdo sobre:
GolatrasosANAC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.