Vôos serão alterados durante a reforma de Congonhas

Parte dos vôos das sete companhias aéreas que operam no aeroporto de Congonhas terão seus horários alterados enquanto durarem as obras de recuperação da pista secundária de pousos e decolagens do aeroporto. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Aeronáutica, a Infraero e representantes das empresas começaram nesta quinta a detalhar quantos vôos sofrerão mudanças e quais serão os impactos na malha aérea. As obras na pista secundária começam logo após o carnaval, em 26 de fevereiro, mas somente a partir dos primeiros dias de março a pista será totalmente interditada, situação estimada para durar cerca de 90 dias. A diretora da Anac, Denise Abreu, informou que até a semana que vem o porcentual de vôos comerciais a serem afetados estará mapeado. "A partir daí, as companhias aéreas deverão comunicar os passageiros que já adquiriram bilhetes sobre mudanças de horários", afirmou ela. No plano que está sendo desenhado pelo governo e as empresas aéreas, está previsto a utilização de 22 horários e espaços para pousos e decolagens (slots) em Congonhas que, segundo a Anac, eram da Nova Varig mas que ela não está utilizando dentro das regras da agência reguladora. "Trata-se de slots que o poder público considera vagos e, por isso, serão usados temporariamente para remanejar vôos de todas as companhias durante o período de obras", disse Denise Abreu. O objetivo, segundo ela, é minimizar os transtornos dos usuários transferindo vôos para os horários mais próximos possíveis dos originais, especialmente nos momentos de picos de utilização do aeroporto. A Nova Varig, no entanto, pode atrapalhar os planos da Anac. Nesta quinta, um dos advogados da empresa, Cristiano Martins, acusou a Anac de estar descumprindo uma determinação judicial que impede a agência de utilizar esses 22 slots sob a alegação de que são propriedade da Nova Varig e não podem ser redistribuídos para outras companhias. Segundo ele, a Anac teria previsto a reunião de ontem inicialmente no Rio de Janeiro, mas transferiu, de última hora, o encontro para Brasília para dificultar a notificação. "Esses slots estão sim sendo operados pela Varig", afirmou ele, que representou a companhia na reunião. A Anac considera que a Nova Varig não está operando esses espaços dentro das regras e, por isso, os teria retomado. "Não se trata de uma redistribuição porque, para isso, temos que fazer uma licitação pública, há regras específicas para isso", rebateu ontem a diretora da agência. Até ontem à tarde, disse ela, a Anac não foi notificada da decisão judicial. "Certamente não vamos descumprir uma decisão da Justiça. Mas, se isso acontecer, haverá mais problemas aos usuários que precisarão ser informados que isso ocorreu por causa de uma decisão judicial", completou. Após o fim das obras na pista secundária, as autoridades pretendem iniciar a recuperação da pista principal de Congonhas, prevista para junho. No dia 17 de março, a Anac vai realizar uma audiência pública para debater um plano para as obras na pista principal. Durante essa primeira etapa de obras no aeroporto paulista, os vôos fretados que operam em Congonhas passarão para Guarulhos e também parte dos vôos da aviação executiva. Nesse período, Congonhas funcionará de 5h30 da manhã até meia noite e trinta. Normalmente, o aeroporto abre às 6h da manhã e funciona até 23h. A diretora disse esperar um feriado de Carnaval tranqüilo para os usuários. "Adotamos todas as medidas preventivas a nosso alcance relativo à aquilo que é da nossa competência", afirmou ela. Ela disse que teve informações da Aeronáutica de que o trabalho dos controladores de vôo no feriado não será comprometido, mas que isso "não é da alçada da Anac".

Agencia Estado,

15 Fevereiro 2007 | 20h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.