Webjet culpa mau tempo pelos atrasos e Infraero rebate

Empresa diz que problema se deu por causa de fechamento de três aeroportos, mas estatal informou que apenas terminal de Confins (MG) não abriu devido a neblina

Marília Lopes, Central de Notícias

07 Novembro 2010 | 18h44

SÃO PAULO - De acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), até as 18 horas deste domingo, 12,7% dos voos domésticos sofreram atrasos em todo o Brasil. No balanço por companhia aérea, a WebJet tinha maior número de voos com atrasos ou cancelamentos. Até este horário, a empresa tinha 58,8% dos voos com atrasos superior a meia hora, sendo que 11,3% estão atrasado no momento e 8,5% foram cancelados.

 

Segundo a assessoria de imprensa da WebJet, os atrasos e cancelamentos acontecem "em virtude de uma somatória de problemas meteorológicos em três aeroportos". A empresa informa em nota que os aeroportos de Confins, Guarulhos e Porto Alegre ficaram fechados por algumas horas neste final de semana.

 

Segundo a WebJet, os passageiros afetados pelos atrasos e cancelamentos têm todo o suporte da companhia, que oferece alimentação e hospedagem, conforme determinação da resolução 141 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A empresa acredita que com a abertura dos aeroportos final desta manhã, a situação de seus voos seja normalizada ao longo do dia.

 

Procurada pela reportagem, a Infraero informou que apenas o Aeroporto Internacional Tancredo Neves (Confins) chegou a ficar fechado neste final de semana. O aeroporto ficou quase 12 horas fechado, das 23 horas de sábado até as 10 horas de domingo. Segundo a Infraero, o Aeroporto Internacional de Guarulhos operou com auxílio de instrumentos das 7 às 10 horas da manhã de hoje, mas não chegou a ser fechado.

 

A Infraero afirmou ainda que se os problemas com voos da WebJet estivessem relacionados apenas ao mau tempo, as demais companhias aéreas também teriam alto índice de atrasos e cancelamentos, o que não ocorre. Segundo a assessoria de imprensa da companhia aérea, a pior situação é a de Confins, que está há cerca de três semanas sem o ILS, aparelho que permite a operação por instrumentos, quando não há visibilidade total para pousos e decolagens.

 

O Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), órgão ligado a Aeronáutica, informou que o fechamento de Confins por quase 12 horas estava ligado apenas ao mau tempo e a pouca visibilidade. Segundo o órgão, a visibilidade estava abaixo de 100 pés e mesmo para operar por instrumentos é necessária visibilidade acima de 200 pés. Entretanto, o Decea confirmou que o ILS de Confins está inoperante desde a última quinta-feira, 4, e deve voltar a funcionar no próximo dia 15.

 

Após a reabertura de Confins, o aeroporto tem no momento apenas três voos atrasados. Mas, ao longo do dia foram 33 voos com atrasos superior a meia hora e 13 cancelamentos. Guarulhos tem quatro voos atrasados e Porto Alegre dois.

Mais conteúdo sobre:
aviação Webjet aeroportos atrasos Infraero

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.