Divulgação/Webserie Novas Vozes da Mobilidade
Tupinambá Energia, uma rede de carregamento de veículos elétricos que visa diminuir a poluição do ar no País Divulgação/Webserie Novas Vozes da Mobilidade

Summit Mobilidade: Websérie expõe 5 projetos que venceram a covid

De uma simples entrega de torta com bicicleta a um modal 100% elétrico, as inovações ajudaram a superar os obstáculos cotidianos

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2021 | 05h00

A websérie “As novas vozes da mobilidade”, produzida pelo Estadão, apresentou projetos que unem diversidade à mobilidade no Brasil. Exibida ao longo dos cinco dias do Summit Mobilidade Urbana 2021, a produção foi dividida em cinco episódios com histórias de pessoas que inovaram na pandemia.

É o caso da Torta do Pai, criada pelo jornalista Diego e seu pai, Antônio Salgado, que é motorista de aplicativo e parou de trabalhar durante a crise sanitária. Para garantir a renda do pai, Diego sugeriu que Antônio fizesse a tradicional torta de família para vender e ele ficaria com as entregas de bicicleta.

A meta era vender 50 tortas e encerrar as atividades, mas as coisas deram certo e a dupla continuou. Com isso, a Torta do Pai ajudou a pagar as contas da família e aumentou a renda do Antônio em mais de 50%. “Eu fico muito contente porque, além de ele estar protegido, mudou completamente o astral. Fazia muito tempo que eu não via meu pai desse jeito”, disse Diego. Com mais de 5 mil tortas vendidas e 14 mil quilômetros rodados, a dupla agora tem dois funcionários e espera abrir uma loja física.

Já o segundo capítulo é dedicado à Tupinambá Energia, uma rede de carregamento de veículos elétricos que visa diminuir a poluição do ar no País.

A primeira ação, lançada em 2019, oferecia aos donos de veículos elétricos um aplicativo para saber onde estão os pontos de recargas. Em 2020, os fundadores analisaram que a infraestrutura precisava melhorar. “Não adiantava ter um software que apontasse para um carregador em um lugar onde não existia disponibilidade”, disse o diretor de Operações e cofundador da empresa, Pedro Maranhão de Conti.

Com as atualizações, o sistema passou a permitir que os usuários reservem uma vaga para carregar o veículo e saibam se o carregador opera normalmente. Aos empresários, oferece a chance de monetizar carregadores em seus empreendimentos. “Mobilidade elétrica não é sinônimo de mercado de luxo. A gente tem a convicção de que a Tupinambá tem um papel importante para facilitar a escolha do público pelo carro elétrico”, afirmou o CEO e cofundador, Davi Alves Bertoncello.

Deficientes

No terceiro episódio é conhecido o Guia Para Todos Verem, uma plataforma web gratuita com as mesmas funcionalidades de um aplicativo que fornece informações sobre a pandemia para pessoas com deficiência visual. Criada pelo empreendedor social João Novochadlo e o amigo, Mateus Silva, teve 25 mil usuários no começo. Após o pico, cerca de 8 a 10 mil pessoas mantiveram os acessos.

Os fundadores agora querem hospedar outros tipos de conteúdos, além dos relacionados à pandemia. “Miramos em fornecer informações para pessoas com deficiência visual sobre covid, mas identificamos que querem qualquer tipo de informação que seja acessível”, afirmou João.

No capítulo seguinte, há o Grilo Mobilidade, um modal sustentável que transporta pessoas, mercadorias e produtos em veículos 100% elétricos pelas vias de Porto Alegre a distâncias curtas, de 2,5 km a 6 km. “Veículos que circulam a até 50 km/h inibem o número de óbitos no trânsito por acidente em mais de 90%”, afirmou o fundador, Carlos Novaes. “É um veículo para o futuro, onde cada vez mais a gente quer ver bicicletas, pedestres, um trânsito com menos barulho e poluição.”

O último episódio conta a história do primeiro mapa da vacinação contra o coronavírus do Brasil, com informações sobre pré-cadastro, calendário por faixa etária, endereços e horários dos postos de imunização. Hospedado na plataforma da Quicko, o mapa também ajuda o usuário a chegar ao local, seja por transporte público, carros de aplicativo ou modais ativos.

Para os próximos meses, o fundador da ferramenta e CEO da Quicko, Pedro Somma, espera melhorar a mobilidade por meio da interação com os usuários. A ideia é que as pessoas possam atualizar as condições do transporte pelo aplicativo, ao informar, por exemplo, se um ônibus está lotado. O objetivo é colocar as pessoas como foco na locomoção. “A Quicko surgiu em 2018 com a visão de que a mobilidade deveria ser centrada nas pessoas, e não nas coisas.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.