William Sozza é condenado a 16 anos

O empresário de Campinas, William Sozza, foi condenado nesta quinta-feira, em São Luís (MA), a 16 anos de prisão (14 por homicídio qualificado e dois por formação de quadrilha). Sozza foi denunciado pela CPI do Narcotráfico como um dos chefes de uma quadrilha que agia em São Paulo, Maranhão, Acre e Mato Grosso, roubando cargas e traficando armas e drogas. Ele também foi acusado, na CPI, por Jorge Meres, de ser um dos mandantes do assassinato do delegado da Polícia Civil do Maranhão, Stênio Mendonça, responsável por investigações que atrapalhavam os negócios da quadrilha. O julgamento de William Sozza durou cerca de 10 horas. Apenas três testemunhas prestaram depoimento, entre elas, o motorista Jorge Meres, que reafirmou ter presenciado uma reunião em que Sozza, o empresário maranhense Joaquim Laurixto e o ex-deputado estadual José Gerardo de Abreu tramaram a morte de Stênio. Gerardo já foi condenado a 23 anos de prisão pelo crime; Laurixto aguarda julgamento. O resultado do júri que condenou Sozza foi apertado: quatro votos a três pela condenação. O advogado do empresário, Jamenes Calado, acusou a imprensa de influenciar o resultado, e anunciou que vai recorrer da sentença. Tanto Sozza quanto o advogado se mostraram surpreso com a condenação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.