X-9 é a primeira a embalar o público do sambódromo de SP

Com 3.800 componentes, 24 alas e cinco carros alegóricos, a X-9 foi a segunda escola a entrar no sambódromo do Anhembi, às 0h30 deste sábado, 17. Com um enredo sobre cores e tintas, e um carro alegórico carregando cerca de 20 destaques com fantasias com plumas laranja, a escola da zona norte foi a primeira a levantar o público das arquibancadas do Anhembi. Logo na comissão de frente já era possível notar a variação de cores que a escola queria imprimir no desfile. Bailarinas com roupas de sete cores diferentes - numa alusão às cores do arco-íris, coreografaram e deram um prenúncio do que estava por vir, à medida em que o samba-enredo "Força Brasil - o País que surge da tinta delira num carnaval de cores" aquecia o sambódromo, na voz do puxador oficial da escola, Edson Dino. Além de fantasias mais luxuosas, os integrantes da X-9 cantavam a letra do samba e estavam mais vibrantes do que os foliões da Imperador do Ipiranga, estreante no Grupo Especial. A X-9, escola da zona norte, empolgou o público que cantava o enredo e sambava nas arquibancadas do Anhembi. Pelo menos o refrão do samba-enredo da escola foi decorado e repetido pelo público. "Eu não sabia, mas aprendi o samba aqui. Acertaram o samba", disse a estudante Mayara Lacerda, que foi ao sambódromo do Anhembi para conferir a primeira noite de desfiles de São Paulo. Desde 1999, a bateria da X-9 Paulistana, sob o comando do mestre Augusto, ganha a nota máxima dos jurados. Neste carnaval, a bateria mostrou além dos naipes tradicionais, cinco integrantes (quatro mulheres e um homem) tocando pratos - o que deu mais vida ao som. Em cores vivas e vibrantes, a bateria veio fantasiada de anarquistas, demonstrando cadência e disciplina. Com tempo de sobra e dentro do regulamento, a escola fez um desfile tranqüilo - do ponto de vista de organização. Ponto para a equipe de harmonia da escola, tida como a mais disciplinada do carnaval paulistano. As cores vibrantes deram espaço também ao mundo da fantasia, no carro "Delírio das Cores", que encantou o público ao lançar uma verdadeira onda de bolas de sabão no sambódromo do Anhembi e encheu os olhos dos mais saudosistas - que se lembraram da antiga brincadeira de criança. A X-9 Paulistana foi fundada no Carandiru, na zona norte da capital paulista, em 1975 e se inspirou no nome de um personagem dos quadrinhos, o agente secreto X-9, do mesmo desenhista de Flash Gordon. Promovida para o Grupo Especial em 1995, surpreendeu como estreante com o quinto lugar. Em 1998, a escola conquistou seu primeiro campeonato do carnaval paulistano e, em 2000, empatada com a Vai-Vai, a X-9 repetiu a dose e tornou bicampeão o verde, vermelho e branco da zona norte. FABIANO RAMPAZZO, JULIANO MACHADO, BRUNO PAES MANSO e GILBERTO AMENDOLA

Agencia Estado,

17 Fevereiro 2007 | 01h40

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.