Anderson Stevens/EFE
Anderson Stevens/EFE

Yoda, Neymar e Trump se 'agigantam' no carnaval de Olinda

80 bonecos passearam nesta segunda-feira, 27, pelo centro histórico da cidade pernambucana

EFE

27 Fevereiro 2017 | 19h27

Representando desde o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ao atacante da seleção Neymar, e até o mestre Yoda, da saga "Star Wars", 80 bonecos passearam nesta segunda-feira, 27, pelo centro histórico de Olinda, em um dos carnavais mais tradicionais do Brasil.

Pelas ladeiras da cidade de quase 500 anos de história, as figuras, que pesam cerca de 20 quilos e medem até quatro metros de altura, acompanharam uma multidão que não parou de pular ao som do maracatu.

Nem o intenso calor na cidade assustou os foliões, que puderam aproveitar os mais de 120 blocos de rua de Olinda.

Entre os "gigantes", personagens de todos os espectros da vida política, cultural e social, como o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o juiz federal Sergio Moro e os lendários cantores Freddie Mercury, líder do Queen, e David Bowie.

O contraste tão próprio e único dos carnavais apareceu também na variedade de figuras, pois ao lado de Chucky, o "brinquedo assassino", estavam os integrantes dos Beatles e a pintora mexicana Frida Kahlo.

As figuras gigantes do atacante Neymar e de seu companheiro de Barcelona Lionel Messi também participaram da tradicional festa na cidade, cujo centro histórico foi declarado em 1982 Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela Unesco.

O mestre Yoda e o temido vilão Darth Vader, ambos personagens da saga "Star Wars", também apareceram ao lado de um Super Homem com um topete um pouco mais rústico que o normal.

Os bonecos de Olinda são uma herança europeia que têm sua origem nas procissões do século XV, quando estas imagens acompanhavam os cortejos religiosos, um ato que o Brasil adaptou e mistura com suas próprias raízes até os dias de hoje.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.