Yoko dança conga e pede paz no MAM

Artista engatinhou com crianças

Márcia Vieira, RIO, O Estadao de S.Paulo

14 de novembro de 2007 | 00h00

A visita ao Museu de Arte Moderna do Rio não durou mais do que meia hora. Mas foi o suficiente para Yoko Ono, de 74 anos, engatinhar, sentar no chão, dançar a conga e pedir paz. A artista foi ao MAM visitar a exposição Arte Para Crianças, que tem seis trabalhos assinados por ela. De chapéu branco, usando óculos escuros mesmo dentro de uma sala fechada, a viúva de John Lennon disse que se encantou com a beleza da cidade, apesar do tempo nublado. "O Rio é um lugar que todo mundo quer conhecer. E é um lugar realmente lindo." De leve, provocou os cariocas. "Agora entendo porque as pessoas, de vez em quando, são preguiçosas aqui." Logo na entrada do museu, ela foi recebida por um grupo de crianças do Espírito Santo, que tocou conga. Retribuiu com beijos e passinhos de dança. Depois, sentou-se no chão para brincar com os meninos de, em média, 5 anos e deixou uma mensagem na Árvore do Desejo, instalação feita por ela: "Vamos fazer um mundo de paz no Brasil em que todos possam se divertir juntos. Espalhe paz, espalhe amor."Yoko lamentou a violência no Rio. "Nova York também tem a fama de ser violenta, mas a gente anda nas ruas e vê que não é bem assim. Torço para que no Rio aconteça a mesma coisa. Todos somos seres humanos, nossos corações batem ao mesmo tempo." E elogiou o MAM por fazer uma exposição para crianças. "Se a gente deixa as crianças experimentarem a arte, elas entenderão que a vida é mais do que brigar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.