Zona Leste de SP alaga de novo; helicópteros resgatam 44

Parecia cena de filme: dentro de um cesto preso com cabo de aço ao helicóptero Águia da Polícia Militar, policiais resgatavam pessoas presas em alagamento na zona Leste de São Paulo, por causa da chuva que, mais uma vez, castigou a região. No fim do dia, o resultado dos resgates, com cenas dramáticas mostradas pelas TVs, foi de 44 pessoas içadas pelos ?heróis do salvamento?, como foram chamados os policiais.Entre os resgatados, 15 crianças. Uma delas foi salva por policiais civis no helicóptero Pelicano, ao lado da mãe, na Cidade Líder, zona Leste, do teto de uma casa alagada. Sobre o teto escorregadio, o policial, arriscando a vida, levou a criança nos braços para o aparelho. Sem local para pousar, o piloto deu um show de perícia e parou o helicóptero a menos de 1 metro do teto. Outras vítimas foram içadas do teto de um ônibus preso na enchente. Foram 100 chamados de emergência, atendidos por 150 policiais.Ainda na Avenida Aricanduva, uma mulher idosa foi salva por policiais que usavam botes. Ela estava ilhada em sua casa e os vizinhos avisaram aos homens do salvamento. Assustada, a mulher, de cabelos grisalhos, só agradecia a ajuda. RecordeDepois de pelo menos duas horas de chuva, que começou às 16h20, os Córregos Aricanduva e Gamelinha transbordaram, deixando boa parte da zona Leste em estado de atenção. O Aricanduva transbordou pela quarta vez nos últimos dias.O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura registrou 30 pontos de alagamento na cidade às 19 horas. Segundo o órgão, choveu em quatro dias na região do Aricanduva o mesmo que em todo o mês de fevereiro do ano passado. Na Penha, os 139 milímetros de chuva registrados nos últimos quatro dias superaram os 127,2 do ano passado. As principais avenidas da zona Leste se transformaram em rios.Na Estação Tatuapé do Metrô, a espera por uma condução foi de várias horas. As filas eram enormes. ?Hoje está demais mesmo porque não tem ônibus?, reclamou o balconista Ricardo de Oliveira Alarcen. ?Acho que a culpa das enchentes na cidade é do tempo e do pessoal que joga lixo na rua?, criticou a analista de sistemas Rosa Foz. A circulação de trens também foi afetada pelas chuvas.A linha Luz-Estudantes ficou paralisada das 16h30 até as 20h10 por causa de alagamentos na via. Já a Luz-Francisco Morato funcionava com intervalos de 50 minutos por pane elétrica e só voltou a funcionar normalmente às 19h25. Parte das zonas Leste, norte, Oeste e Central também tiveram problemas de falta de luz. Às 22h30 continuavam sem energia os bairros de Vila Maria Alta, Artur Alvim, Penha e Vila Carrão. O restabelecimento estava previsto para as 23 horas.DesabrigadosO ministro da Saúde, Humberto Costa, desembarca às 9 horas de hoje em Maceió (AL) para uma reunião com o governador Ronaldo Lessa (PSB) e os prefeitos dos municípios que sofrem com as cheias. Costa viaja também para Aracaju (SE), onde vai discutir com prefeitos a ajuda aos desabrigados. ?O ministro vai acertar o plano de distribuição de medicamentos e as ações de saúde para evitar a proliferação de doenças?, afirmou o coordenador regional da Fundação Nacional de Saúde, Ricardo Valença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.