Prefeitura de São Carlos/Divulgação
Prefeitura de São Carlos/Divulgação

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Zoo em São Carlos consegue reprodução de bugio ameaçado

Espécie se tornou ameaçada por ter sido a principal vítima dos surtos de febre amarela. Com dieta especial, filhote permanece sob cuidados da mãe até se tornar independente

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2019 | 18h12

SOROCABA – Um novo morador chama a atenção dos visitantes do Parque Ecológico de São Carlos, no interior de São Paulo. Agarrado à mãe, um filhote de bugio-vermelho não se furta aos olhares curiosos dos frequentadores. O animalzinho, que nasceu no dia 20 de julho, pesando 200 gramas, é um sobrevivente. De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), animais da espécie Alouatta guariba clamitans, também conhecidos como bugios-ruivos, tornaram-se ameaçados por terem sido as principais vítimas dos recentes surtos de febre amarela que atingiram o Sudeste brasileiro.

O filhote é a primeira cria obtida de um grupo de quatro bugios-vermelhos que foram levados para o parque após serem resgatados na natureza em situação de risco. Depois de passarem pelo centro de triagem, eles foram agrupados e formaram família. No ano passado, ganharam um novo recinto dividido em duas áreas para facilitar a formação de casais.

“Eles não são da mesma família, pois cada um foi resgatado em diferentes regiões do Estado de São Paulo. Com o manejo adequado, conseguimos dar condições para que um casal se reproduzisse. É a primeira vez que isso acontece aqui”, disse Fernando Magnani, diretor do Departamento de Defesa e Controle Animal do município.

Além da febre amarela, essa espécie de bugio é vítima da fragmentação de seu habitat principal – a Mata Atlântica – e em algumas regiões é considerado “criticamente em perigo”, categoria anterior à de “extinto”.

O filhotinho, que ainda vai ganhar um nome, ficará sob os cuidados da mãe até se tornar independente. Ele recebe uma dieta especial, à base de frutos, cereais, folhas e flores. O parque ecológico, localizado no km 2 da Estrada Municipal Guilherme Scatena, abre ao público de terça a domingo e a visitação é gratuita. 

Tudo o que sabemos sobre:
animalmacacoFauna

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.