Reprodução | 29.09.2015
Reprodução | 29.09.2015

Polícia indicia cinco agentes por fraude no Morro da Previdência

Policiais foram presos em flagrante após vídeo mostrá-los forjando a cena da morte do adolescente Eduardo Felipe Santos Victor

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

30 Setembro 2015 | 09h17

RIO - A Divisão de Homicídios, que investiga a morte do adolescente Eduardo Felipe Santos Victor, de 17 anos, vai indiciar os cinco policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) filmados forjando a cena do crime, no Morro da Providência, centro, por fraude processual. Os policiais foram presos em flagrante e deixaram a delegacia por volta de 5h. Todos foram levados para o Batalhão Prisional da PM.

Participaram da ação os policiais Éder Ricardo de Siqueira e o Gabriel Julião Floriado, os únicos que, inicialmente, seriam indiciados por fraude processual, além de Riquelme de Paulo Geraldo, Paulo Roberto da Silva e Pedro Vítor da Silva. Os cinco foram presos em flagrante e responderão também a Inquérito Policial Militar (IPM), que investiga administrativamente a conduta dos agentes. 

Segundo a polícia, um grupo de PMs fazia uma ronda de rotina quando, na região da Pedra Lisa, se depararam com criminosos que atiraram contra os agentes. Os policiais revidaram e o adolescente, que estaria com uma pistola 9 mm e munição, morreu. A pistola e a munição foram apreendidas.

Foi realizada perícia no local onde o adolescente morreu e as armas dos policiais foram recolhidas.

Após o confronto, moradores se reuniram e atiraram pedras contra os policiais, em um ato que durou cerca de uma hora e assustou quem passava de carro pelo local. À noite, quando os policiais deixavam a 4ª Delegacia de Polícia, centro, houve novo protesto e policiais do Batalhão de Choque lançaram bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.