Vazamento de água assusta moradores do Rio Comprido, no Rio

No local funcionaria uma estação da Cedae; segundo relatos, força da água fez jatos atingirem o quarto andar de um prédio vizinho

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

02 de junho de 2015 | 09h00

RIO - Um vazamento de água de grandes proporções, na esquina das Ruas Guaicurus e Barão de Petrópolis, no Rio Comprido, região central do Rio de Janeiro, assustou os moradores na madrugada desta terça-feira, 2. No local, funcionaria uma estação da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae). Segundo moradores, a água começou a jorrar por volta de 3h30. 

A Cedae informou que o fornecimento de água para a região foi interrompido e que técnicos estavam no local na manhã desta terça-feira para realizar reparos. Uma equipe de Segurança Patrimonial da companhia vai contabilizar os prejuízos causados pelo vazamento para que sejam ressarcidos.

Moradores de um prédio vizinho ao local do vazamento relataram que a força da água fez com que jatos atingissem  o quarto andar do edifício, fazendo com que a água entrasse pelo telhado. No início da manhã desta terça-feira, moradores montavam barricadas para conter o avanço da inundação.

De acordo com a Light, o fornecimento de energia elétrica não foi cortado. O Centro de Operações Rio (COR) informou que a Rua Guaicurus estava com meia pista interditada por volta das 7h30 por causa do incidente. 

Tudo o que sabemos sobre:
Rio de JaneiroCedae

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.