AFP
AFP

Acidente que feriu 200 no Rio foi por falha humana, diz agência

Agetransp multou a Supervia em R$ 1,2 milhão; trens se chocaram na noite do dia 5 de janeiro em Mesquita, na Baixada Fluminense

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

26 Março 2015 | 19h29

RIO - A Agência Reguladora de Transportes do Estado do Rio (Agetransp) concluiu que uma falha humana causou o acidente entre dois trens da Supervia (concessionária de trens metropolitanos do Rio) que deixou mais de 200 feridos na noite de 5 de janeiro em Mesquita, na Baixada Fluminense. A agência decidiu multar a Supervia em mais de um R$ 1 milhão pelo episódio.

Segundo a Agetransp, o trem UP223, que circulava no ramal Japeri, deveria ter saído de Mesquita em velocidade restrita, obedecendo ao sinal amarelo na saída da plataforma, e parado no próximo sinal, que estava vermelho, antes da estação Presidente Juscelino. Como não parou, bateu na traseira da composição UP221, que estava parada na Presidente Juscelino.


Em depoimento à polícia, o maquinista Luiz Felipe Moreira Breves disse que avançou o sinal vermelho com autorização do controlador de tráfego Fábio de Oliveira Riboura, de 43 anos. O controlador, que prestou depoimento antes, disse que o maquinista avançou o sinal sem a sua permissão.

Multa. A Agetransp decidiu multar a Supervia em R$ 1.205.167,09 por causa ao acidente. Embora o erro tenha sido de um funcionário, a empresa foi punida por violação dos princípios de regularidade, continuidade, eficiência e segurança da operação. A agência também determinou que a Supervia apresente em até 60 dias um relatório com medidas para identificar e prevenir perda de atenção das equipes durante a operação e o controle de tráfego.

Mais conteúdo sobre:
Rio de JaneiroSuperviaacidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.