Acusada pela morte de ganhador da Mega Sena continua presa

Professora que integraria grupo que planejou o assassinato do milionário tem pedido de liminar negado pelo STJ

Paulo R. Zulino, do estadao.com.br,

10 de dezembro de 2007 | 14h16

A professora de educação física Janaína Silva de Oliveira, acusada de integrar o grupo que participou do assassinato do milionário da Mega Sena René Senna, vai continuar na prisão. A decisão é da ministra Laurita Vaz, que negou o pedido de liminar por ausência dos requisitos necessários para a concessão da liberdade. Além do alvará de soltura, também foram negados os pedidos de mérito - o reconhecimento da nulidade do decreto prisional, expedido pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ), e da sentença de pronúncia. O habeas-corpus questiona decisão do TJ-RJ que determinou a prisão preventiva da acusada como garantia da instrução criminal. Ela responde a processo pelo crime de homicídio qualificado. Janaína Silva de Oliveira é mulher do ex-PM Anderson Silva de Sousa, que exerceu a função de chefe da segurança do milionário e teria sido o autor dos disparos que o mataram.

Tudo o que sabemos sobre:
Mega SenaAssassinato

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.