Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Acusado de matar e torturar adolescente é preso no Rio de Janeiro

Gutemberg Rodrigues Minas, de 19 anos, confessou o crime e disse ter estuprado Ana Beatriz Andrade, de 14, no Morro dos Macacos

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

19 Abril 2016 | 11h19

RIO - A polícia prendeu, no fim da tarde desta terça-feira, 19, o homem suspeito de ter matado Ana Beatriz Andrade, de 14 anos, no Morro dos Macacos, na zona norte do Rio. A adolescente foi encontrada morta, em sua casa, no sábado passado, com sinais de tortura.

Gutemberg Rodrigues Minas, de 19 anos, foi preso por agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) local. 

O suspeito confessou a autoria do crime a policiais da Divisão de Homicídios da capital e também afirmou ter estuprado Ana Beatriz. O resultado do laudo do Instituto Médico-Legal (IML) ainda não foi divulgado.

De acordo com a Polícia Militar, Gutemberg foi localizado com base em informações de moradores. O suspeito morava na mesma região da vítima e informou aos PMs onde teria escondido a chave da casa e o tablet da adolescente.

A Justiça concedeu a prisão temporária de Gutemberg por homicídio qualificado e feminicídio. Os policiais encontraram Ana Beatriz amarrada e amordaçada. Ela foi encaminhada para o Hospital Federal do Andaraí, também na zona norte, mas não resistiu aos ferimentos.

Rocinha. Uma menina de 11 anos foi morta com um tiro na cabeça, na noite de segunda, na Favela da Rocinha, zona sul do Rio. Jennifer Caroline Ramos chegou a ser socorrida por parentes e encaminhada para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, onde morreu. 

David Magalhães Luiz, de 18 anos, foi preso por policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), suspeito de ter cometido o crime. Ele é namorado da mãe da menina. 

O delegado da Divisão de Homicídios, Fábio Cardoso, disse que, em depoimento, Luiz alegou que o disparo foi acidental.

“Testemunhas disseram que ele estava manuseando a arma perto da menina e dos irmãos dela. A mãe da Jennifer chegou a pedir para ele parar. Será autuado por homicídio com dolo eventual, pois assumiu o risco.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.