FÁBIO MOTTA/ESTADÃO
FÁBIO MOTTA/ESTADÃO

Adolescente acusado pela morte de médico no Rio volta a negar crime

Mãe do jovem deixou fórum chorando; de acordo com advogada do suspeito, ele está apreendido por descumprir medida socioeducativa

Clarissa Thomé, O Estado de S. Paulo

25 Maio 2015 | 17h46

RIO - O adolescente de 16 anos acusado pela morte do médico Jaime Gold, esfaqueado na ciclovia da Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio, na semana passada, prestou depoimento na tarde desta segunda-feira, 25, à promotora Luciana Beniste e voltou a negar participação no crime.

A mãe do adolescente deixou o Fórum de Olaria, na zona norte, chorando, e não falou com os repórteres. De acordo o advogada do suspeito, Caroline Bispo, ele está apreendido por descumprir medida socioeducativa. 

O adolescente cumpria pena de semiliberdade em fevereiro, quando deixou a instituição e não voltou mais. 

No fim da tarde desta segunda, 25, a Justiça deve decidir se ele ficará internado também sob acusação de ter matado o médico. Se não houver provas suficientes no inquérito, ele será liberado. “Esse caso vai trazer muita discussão. Nós teremos que discutir se queremos um Estado Democrático de Direito ou um Estado autoritário”, disse outro advogado do jovem, Djeferson Amadeus. 

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.