Agentes da FNS no Rio denunciam falta de pagamento

Clube de Cabos e Soldados vai doar 1.200 cestas básicas aos agentes da Força Nacional que estão no Rio

CLARISSA THOMÉ, Agencia Estado

13 Setembro 2007 | 19h28

Os cerca de 1.200 agentes da Força Nacional de Segurança que estão no Rio de Janeiro desde os Jogos Pan-Americanos denunciaram que estão sem receber suas diárias desde julho. Em nota, o Ministério da Justiça informou que já foi pedido crédito extraordinário para o pagamento das diárias e que aguarda a tramitação da medida provisória que vai liberar o dinheiro. O texto lembra que um decreto editado em 3 de julho dobrou as diárias para os servidores que estivessem em viagem para o Rio durante os Jogos. Além disso, o governo do Estado pediu a permanência de parte da Força no Rio. "O Orçamento de 2007, como de praxe, foi preparado durante o exercício de 2006", explica a nota. Tanto a duplicação das diárias quanto o aumento da estada da Força Nacional eram despesas que não estavam previstas no Orçamento de 2007. "O Ministério da Justiça já realizou em 2007 pagamentos de diárias à Força Nacional no valor de R$ 39,5 milhões de reais", informou o texto. Preocupados com a situação dos colegas, o Clube de Cabos e Soldados da Polícia Militar vai doar cestas básicas para os agentes. "Os policiais estão entrando na Justiça para receber o pagamento. Isso é muito sério. Eles estão pagando para trabalhar, pagando para se alimentar. E estão ameaçando deixar o Rio na segunda-feira", afirmou o tenente Jorge Lobo, presidente do clube. O Clube de Cabos e Soldados da PM colocou as cestas básicas à disposição dos cerca de 1.200 homens que estão no Rio. "Vamos doar uma cesta básica com itens como macarrão, arroz, açúcar e feijão a cada quinze dias àqueles que nos procurarem. Pelo menos vai minimizar as dificuldades deles", disse o policial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.