Apreensão de jovem causa confrontos entre PMs e moradores no Rio

Pedras e fogos de artifício teriam sido atirados contra os militares, que usaram bombas de efeito moral para dispersar a população

Tiago Rogero , O Estado de S. Paulo

07 Agosto 2014 | 22h17

RIO - A apreensão de um adolescente que, segundo a polícia, teria desacatado policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) gerou confusão no Lins de Vasconcelos, na zona norte do Rio. Pedras e fogos de artifício teriam sido atirados contra os militares, que usaram bombas de efeito moral para dispersar os moradores.

Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), da PM, os militares da UPP do Lins abordaram o jovem no começo da noite desta quinta-feira, em frente à base da Unidade. "O menor desacatou, não permitiu a revista, xingou os agentes e foi levado para a 25ª DP (Engenho Novo)", informou a CPP em nota.

"A mãe do adolescente, ao saber da apreensão do filho, foi na base tirar satisfações com os policiais e começou a atirar pedras nos agentes", informou. "Na sequência, outros moradores se juntaram e teve início um princípio de tumulto. Fogos foram atirados contra as equipes policiais, que precisaram usar bombas de efeito moral para dispersar o grupo. O policiamento ao redor da base foi reforçado".

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro Lins de Vasconcelos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.