Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Arcebispo do Rio é assaltado na zona norte e tem carro levado

D. Orani Tempesta voltava de missa e foi abordado em Quintino; é a segunda vez em menos de um ano que é vítima de roubo na capital

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

06 de julho de 2015 | 08h40

Atualizado às 20h42

O cardeal-arcebispo do Rio, d. Orani Tempesta, foi assaltado quando passava de carro em Quintino, bairro na zona norte do Rio, na noite deste domingo, 5. Foi a segunda vez em menos de um ano que criminosos armados o atacaram. O cardeal voltava com um motorista e um casal de amigos italianos de uma missa em Campo Grande, na zona oeste, quando o carro foi abordado por quatro homens na altura do viaduto de Quintino. Ninguém ficou ferido.

“O que aconteceu comigo acontece com tanta gente. O fato de ser um cardeal-arcebispo chama a atenção. Eu rezo para que esses jovens encontrem famílias e pessoas que os ajudem a mudar de vida e serem felizes”, disse o religioso. 

Questionado sobre a possibilidade de um dos assaltantes ter menos de 18 anos, d. Orani afirmou ser contra a redução da maioridade penal. “Acho que, se você prendê-los, eles vão fazer uma pós-graduação. Tem de recuperar com educação, de outra forma.”

Segundo o registro da 24.ª Delegacia de Polícia (Piedade), os criminosos – que estavam em um Palio – chegaram a bater no carro da Arquidiocese, um Kia, para iniciar o assalto. Os assaltantes fugiram com celulares, relógios, carteiras, o cordão de d. Orani e o material litúrgico usado na missa que o cardeal havia acabado de celebrar. Na manhã desta segunda, agentes da Polícia Civil buscavam câmeras de segurança que possam ter filmado a abordagem.

Achado. O carro da Arquidiocese foi encontrado na tarde desta segunda próximo do Morro da Pedreira, em Costa Barros, zona norte, com marcas de batida. Dentro dele, os policiais acharam livros religiosos e as vestes com as quais d. Orani havia celebrado a missa. Os telefones celulares e o crucifixo de prata não foram recuperados.

Por meio de nota, a Arquidiocese do Rio informou que, além do carro, os quatro criminosos “fortemente armados” levaram pertences pessoais dos passageiros. O motorista chegou a ser feito refém e levado pelo bando, mas foi liberado pouco tempo depois. 

D. Orani havia ido à zona oeste celebrar uma missa com a imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida, vinda da Basílica Nacional, em Aparecida, no interior de São Paulo. 

“Apesar do susto, ninguém se feriu e todos passam bem. Mas é importante ressaltar que a preocupação primeira de d. Orani foi com a integridade física dos os ocupantes do veículo e tal episódio só demonstra o quanto o cardeal não está distante da realidade de seu povo. Ele é o bom pastor, que ‘dá a vida por suas ovelhas’, aquele que ‘dá a vida guiando o povo cristão rumo à salvação’ e não só ‘tem o cheiro das suas ovelhas’, como também vive as mesmas realidades e experiências que seu rebanho”, divulgou a Arquidiocese, em seu site oficial.

Em setembro de 2014, o cardeal já havia sido assaltado em Santa Teresa, região central do Rio, e teve o anel, o cordão e o crucifixo roubados. Um dos três criminosos teria reconhecido o religioso e pedido desculpas pela ação, devolvendo as joias. Antes disso, d. Orani chegou a ser revistado e ter uma arma apontada para a cabeça. Na ocasião, ele deixava a Residência Assunção, no Sumaré, e seguia de carro para a Arquidiocese, na Glória, zona sul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.