Divulgação
Divulgação

Arcebispo do Rio é surpreendido por tiroteio entre PM e traficantes

D. Orani Tempesta ficou 10 minutos aguardando fim do confronto quando seguia do Cristo Redentor para o Aeroporto Santos Dumont

Sergio Torres, O Estado de S. Paulo

10 de junho de 2016 | 14h42

RIO - O arcebispo do Rio, cardeal d. Orani Tempesta, teve de saltar às pressas do carro que o conduzia, na manhã desta sexta-feira, 10, por causa de um tiroteio entre policiais militares e criminosos em Santa Tereza, na região central. Ele seguia do Cristo Redentor para ao Aeroporto Santos Dumont e aguardou o fim do confronto por cerca de dez minutos. Um vídeo nas redes sociais mostra o religioso sentado na calçada, mexendo no celular, ao lado de pessoas que também esperavam o término da troca de tiros.

"Junto com muitos outros passageiros de ônibus e outros veículos. Ficamos uns dez minutos. Quando amainou um pouco, demos marcha a ré e pegamos outra rua. Os ônibus à frente continuaram parados. Não sei como terminou", disse d. Orani, de acordo com o site de O Globo.

O tiroteio confrontou traficantes de drogas de favelas da região e policiais militares do 5º Batalhão e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) dos Morros Fallet/Fogueteiro, em Santa Teresa.

Em menos de dois anos, este é o terceiro episódio de violência que afeta o cardeal. Em setembro de 2014, ele foi  assaltado quando saía da Residência Assunção (Sumaré, na estrada para o Cristo), onde vive. Os criminosos levaram o anel cardinalício e a cruz peitoral do cardeal, que teve uma arma apontada para a cabeça.

Dez meses, d. Orani voltou a ser atacado, desta vez em Quintino, na zona norte. Os criminosos pararam o carro em que ele estava com o motorista e um casal de amigos. O carro foi levado pelos bandidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.