Ataque a choperia na zona norte do Rio deixa dois homens mortos

Criminosos atiraram com fuzis contra bar Barril 8000; um segurança e um cliente não resistiram e outras duas pessoas ficaram feridas

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

08 Maio 2015 | 11h09

Atualizado às 14h40

RIO - Dois homens morreram e duas pessoas se feriram durante um ataque a tiros a uma choperia em Piedade, na zona norte do Rio de Janeiro, na madrugada desta sexta-feira, 8. Os atiradores chegaram em dois carros e dispararam em direção ao bar Barril 8000. De acordo com testemunhas, os criminosos estavam armados com fuzis e os seguranças do bar revidaram.

Os dois mortos eram o segurança da casa noturna Carlos Alexandre Lopes Gama e o cliente Edinaldo dos Santos.  A principal hipótese da Polícia Civil é de que o crime tenha sido encomendado contra o segurança  - ainda não se sabe se por milicianos ou traficantes que atuam em comunidades da região, o Morro do Dezoito e o Morro do Fubá. 

Testemunhas relataram aos investigadores que dois carros modelo sedan pararam em frente à choperia. Deles saíram "vários" homens (ainda não se sabe quantos), que começaram a disparar. Eles não estavam encapuzados, segundo frequentadores da choperia, e conseguiram fugir. Ninguém foi roubado na ocasião, o que reforça a hipótese de crime encomendado. 

Os corpos das duas vítimas, que morreram no local, foram encaminhados ao Instituto Médico Legal, no centro, para identificação. De acordo com a Divisão de Homicídios da capital, que investiga o caso, a perícia foi feita no local e testemunhas estão sendo ouvidas na especializada.

Os agentes agora realizam diligências e  procuram imagens de câmeras de segurança da região para identificar os autores do crime. 

Dois feridos, um homem e uma mulher, foram levados para o Hospital Salgado Filho, no Méier, na zona norte do Rio. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o homem fraturou o braço direito e vai passar por cirurgia. Já a mulher, que teve escoriações, foi medicada e liberada.

Mais conteúdo sobre:
Rio de Janeiro Violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.