Babá é presa ao imergir cabeça de criança em banheira

Elane, que afirmou ter se irritado com o choro da criança e que por isso resolveu dar um castigo no menino

Ricardo Valota, estadão.com.br,

20 de junho de 2009 | 06h32

A falta de equilíbrio psicológico pode custar muito caro à babá Elane de Souza Vieira, de 53 anos, acusada de tortura por afogamento contra um menino de 2 anos, do qual tomava conta, numa residência de alto padrão do Condomínio Maramar, no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio.

 

Na noite desta sexta-feira, 19, a tia da criança flagrou Elane, que também é professora de Inglês, segurando o menino pelas pernas e imergindo a cabeça dele numa banheira de hidromassagem. A Polícia Militar foi acionada e encaminhou Elane à 16ª Delegacia, da Barra da Tijuca.

 

A babá, assim que chegou à delegacia, negou o crime e disse que apenas dava banho na criança, mas, segundo o delegado Robinson Gomes, que tomou depoimento, um dos policiais conseguiu gravar a confissão de Elane, que afirmou ter se irritado com o choro da criança e que por isso resolveu dar um castigo no menino.

 

Elane foi autuada por crime de tortura, que pode resultar numa pena de 2 a 8 anos de reclusão. Ela está presa na carceragem da Barra da Tijuca e deverá ser transferida para a Polinter.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.