Banco Mundial anuncia crédito de US$ 485 mi para ações pós-desastre no Rio

Além do crédito anunciado, entidade estuda outro empréstimo, de US$ 30 milhões, destinado à assistência técnica de prevenção de desastres no Rio de Janeiro

Efe,

19 de janeiro de 2011 | 02h20

BRASÍLIA - O Banco Mundial anunciou nesta terça-feira, 18, uma linha de crédito de US$ 485 milhões para programas voltados a atender as vítimas das fortes chuvas que já deixaram mais de 700 mortos na Região Serrana do Rio de Janeiro, informou a instituição.

 

Em comunicado, o organismo internacional indicou que após uma reunião entre o vice-presidente da entidade, Otaviano Canuto, e a presidente brasileira, Dilma Rousseff, o Banco Mundial anunciou o empréstimo destinado aos programas de habitação e prevenção de desastres naturais.

 

Participaram da reunião outros diretores do organismo e vários ministros do governo brasileiro e ficou determinado que a linha de crédito "está em fase final para sua aprovação, sem contrapartida".

"Esperamos que a primeira entrega do empréstimo, de US$ 290 milhões, possa ser aprovada nas próximas semanas", assinalou o diretor do Banco Mundial no Brasil, Makhtar Diop, que antecipou a liberação de outros US$ 38,7 milhões para programas junto ao governo do Rio de Janeiro.

 

Diop indicou ainda que, além do crédito anunciado e dos convênios existentes com o governo estadual, a entidade estuda outro empréstimo, de US$ 30 milhões, destinado à assistência técnica de prevenção de desastres no Rio de Janeiro.

 

Com o governo federal, será reestruturado o programa "Interáguas", que receberá recursos do organismo no valor de US$ 97 milhões e terá foco no atendimento de desastres.

 

Dilma, segundo a estatal Agência Brasil, pediu à instituição que "a análise do empréstimo, que já estava em andamento antes do desastre, seja feita de forma rápida pelo banco".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.