Bando bloqueia avenida movimentada na Barra da Tijuca e faz arrastão

Pelo menos sete carros foram roubados e três pessoas ficaram feridas, entre elas um PM que se jogou da ponte

Carina Bacelar e Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

04 Março 2015 | 18h28

RIO - Criminosos armados bloquearam uma das vias mais movimentadas da Barra da Tijuca, bairro da zona oeste, durante arrastão na noite desta terça-feira, 3. O bando agiu nos dois sentidos da Avenida Ayrton Senna, na altura da Vila do Pan. Passageiros de pelo menos sete carros foram roubados. Para fugir dos assaltantes, um policial atirou-se de uma ponte dentro de um canal de esgoto.

Um homem recebeu uma coronhada no rosto e precisou ser atendido no Hospital Lourenço Jorge. Uma mulher foi agredida na boca por um dos criminosos. O PM que se jogou da ponte também ficou ferido, sem gravidade. Ele levava a farda da corporação no porta-malas e teve medo de ser assassinado pelos bandidos. 

De acordo com as testemunhas ouvidas pela polícia, eram ao menos três criminosos. Todos fugiram. Antes da ação na Ayrton Senna, eles já haviam feito assaltos perto do shopping Via Parque. O caso foi registrado na 16ª Delegacia de Polícia (Barra da Tijuca). 

Nas redes sociais, moradores da Barra relatavam medo e surpresa. “Arrastão no mergulhão da Barra em frente ao Carrefour. Vários homens com fuzis, carros voltando na contramão. Que Deus guarde e livre nossas famílias", escreveu uma internauta no Facebook. “Que assaltavam pessoas com chinelo aqui na Barra eu já sabia... Agora essa história de arrastão com fuzil, socorro", disse uma usuária do Twitter.

Mais segurança. O presidente da Câmara Comunitária da Barra da Tijuca, Delair Dumbrosck, afirmou que representantes da instituição pedirão mais segurança ao governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). “A polícia tem de usar a inteligência e prender esses caras", protestou. Pezão inaugurou nesta quarta-feira, 4, a Companhia Destacada da PM perto do local do arrastão. A unidade terá 60 policiais e seis carros, para reforçar o patrulhamento na área. Sobre o ataque na Ayrton Senna, ele disse que a polícia realiza “uma luta permanente” e observa “o deslocamento das manchas criminais”. 

“Tem que reforçar policiamento, usar a inteligência, câmeras.  Aqui na região vamos reforçar o patrulhamento com motos, muito assaltos aqui são nos engarrafamentos. Infelizmente a criminalidade ainda é alta”, disse o governador.

Em janeiro, de acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP), a Barra registrou 58 assaltos a motoristas - mais de dois por dia. Os roubos a pedestres foram 98. Os carros furtados somaram 91 no primeiro mês de 2015. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.