Reprodução
Reprodução

Bando invade shopping e rende funcionários na Baixada Fluminense

Centro comercial foi alvo de assaltantes quatro dias depois de um tiroteio no West Shopping, na zona oeste do Rio

Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

13 Outubro 2015 | 18h54

RIO - Quatro dias após um tiroteio levar pânico a frequentadores do West Shopping, em Campo Grande, zona oeste do Rio, outro centro comercial foi alvo de assaltantes. O crime aconteceu nesta terça-feira, 13, em Nova Iguaçu, cidade na Baixada Fluminense. Cinco homens armados invadiram a filial das Casas Bahia no TopShopping. Renderem três funcionários, mas foram presos em flagrante por policiais da 58ª Delegacia. Não houve troca de tiros. O bando tentou roubar 100 celulares.

Por causa dos aparelhos e do estabelecimento escolhido como alvo (Casas Bahia), a polícia investiga se a quadrilha atuou no assalto ao West Shopping no último sábado, contra a filial da rede de eletrodomésticos. A delegacia analisará imagens de câmeras de segurança. No shopping da zona oeste, houve tiroteio. Um vigilante morreu. Uma PM, que estava de folga, foi baleada, mas passa bem. Os bandidos fugiram. O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios.

Violência dentro de shoppings não é novidade na Região Metropolitana do Rio. De acordo com a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor do Estado do Rio (Procon-RJ), só neste ano, quatro processos administrativos foram abertos para apurar a falta de segurança em shoppings. Os centros comerciais investigados são o Shopping da Gávea (zona sul), Barra Shopping (zona oeste), Center Shopping (zona oeste) e Via Brasil (zona norte). O caso do West Shopping, segundo o Procon-RJ, poderá gerar um processo administrativo e multa.

No Shopping da Gávea, em fevereiro deste ano, uma médica foi sequestrada no estacionamento e levada para o morro do Chapadão, na zona norte, onde ficou quatro horas antes de ser liberada. No Barra Shopping, a vítima foi um juiz, que sofreu sequestro relâmpago. Ele foi liberado pouco depois porque um pneu do carro furou. O suspeito de chefiar o grupo que praticou os dois crimes, Leonardo Oliveira Caroba da Silva, de 41 anos, foi preso em abril. Em agosto, uma loja de eletrodomésticos foi roubada no Casa & Gourmet Shopping, em Botafogo (zona sul). Os assaltantes roubaram 80 celulares e pertences dos clientes.

Em nota, a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) declara se "solidarizar com as vítimas" dos assaltos em centros comerciais e informa que crimes em shoppings são "raros e isolados". "A entidade reitera apoio ao poder público no sentido de prevenir e colaborar com as autoridades para evitar qualquer tipo de crime em shopping centers."

O consultor de segurança Paulo Storani, ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais, não considera, até o momento, que assaltos a shoppings sejam "uma tendência". "Não é uma ação sistemática. Vamos ver mais adiante se vão acontecer outros caso." Para o ex-PM, os ataques são um sinal da "ousadia" dos criminosos. Storani disse que o ideal nesses casos é o shopping monitorar os bandidos pelo circuito interno e acionar um cerco policial do lado de fora. 

Mais conteúdo sobre:
Rio de JaneiroViolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.