Reprodução Google Maps
Reprodução Google Maps

Bebê de seis meses baleado em escola na zona sul do Rio recebe alta

Caíque Carvalho foi ferido no colo da mãe no início da noite de segunda-feira, quando estava no pátio da instituição, esperando o irmão, que estava em uma aula de futebol

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

17 Maio 2018 | 12h57

SÃO PAULO – No início da tarde desta quinta-feira, 17, o bebê Caíque de Carvalho, de seis meses, recebeu alta médica. Ele foi baleado no colo da mãe, na noite de segunda-feira, 14, enquanto estava no Colégio São Vicente de Paulo, no Cosme Velho, na zona sul do Rio de Janeiro.

O bebê foi submetido na terça-feira, 15, a uma cirurgia no Centro Pediátrico da Lagoa, na zona sul, para a retirada da bala alojada no ombro. O estado de saúde de Caíque é considerado bom pela equipe médica.

Em nota, o Grupo Prontobaby, controlador do Centro Pediátrico da Lagoa, informou que o menino Caíque de Carvalho recebeu alta hospitalar por volta das 12h.

"Caíque reagiu bem à cirurgia para a retirada do projétil, na última terça-feira, e foi liberado pelos médicos. O menino seguiu para a casa com a sua família e não precisará de cuidados especiais, passará somente por acompanhamento e revisão da cirurgia", destacou a nota.

Mães de outros alunos contaram que a mulher estaria esperando o filho mais velho, de seis anos, terminar uma aula de futebol na quadra, com o bebê no colo.  A quadra da escola fica perto da comunidade do Cerro Corá, mas a polícia informou que não houve registro de tiroteios na região.

Um projétil deflagrado foi encontrado na tarde de quarta-feira na calçada em frente ao Colégio São Vicente de Paulo, no Cosme Velho, na zona sul do Rio, onde a Polícia Civil realizou uma reconstituição para tentar determinar de onde veio a bala que atingiu no ombro Caíque Carvalho, de apenas seis meses de idade.

A bala extraída foi encaminhada para a perícia, que poderá determinar o calibre e até mesmo a distância aproximada do disparo.

A PM foi acionada na segunda-feira para a ocorrência por volta das 20 horas. Caique foi o 15º caso de criança baleada no Rio em 2018.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.