Bope/Twitter
Bope/Twitter

Beltrame propõe pena mais rígida para porte de armamento pesado

Armas com grande poder de fogo e de uso restrito das Forças Armadas foram apreendidas depois da prisão de Fu da Mineira

Luciana Nunes Leal e Carina Bacelar, O Estado de S. Paulo

11 Agosto 2015 | 13h32

RIO - O secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, anunciou nesta terça-feira, 11, que fará uma proposta de mudança no Estatuto do Desarmamento para impor penas mais rigorosas para quem usar armas exclusivas da Forças Armadas e também para portadores de fuzis, gramadas, dinamites e outros explosivos. 

"Pessoas com porte de armas que causem estragos em um raio de até cinco quilômetros devem ter responsabilidade penal muito grande. Precisamos dar um basta a esta idolatria a armas de guerra no Rio de Janeiro", disse. 

Armas com grande poder de fogo e de uso restrito das Forças Armadas foram apreendidas pelo Batalhão de Operações Especiais (Bope), da Polícia Militar (PM), nesta terça-feira, depois da prisão do traficante Ricardo Chaves de Castro Lima, o Fu da Mineira, no Complexo do Chapadão, em Costa Barros (zona norte). 

O conjunto de favelas fica próximo ao Complexo da Pedreira, onde Celso Pinheiro Pimenta, o Playboy, foi morto pela polícia no último sábado, 8. Com Fu da Mineira, foram presos outros cinco traficantes, todos integrantes da facção Comando Vermelho. 

"Os que foram presos hoje acumulam juntos 120 anos de cadeia. Todos estavam presos, saíram para visitar a família e não voltaram", disse Beltrame. O secretário pediu a que a população denuncie esconderijos de armas à polícia. Beltrame fez um pronunciamento à imprensa antes da entrevista coletiva de autoridades policiais que detalharam a operação desta manhã. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.