Bombeiros encerram buscas por vítimas de queda de ciclovia no Rio

Nenhum parente informou o desaparecimento de possíveis vítimas; duas pessoas morreram após o desabamento

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

23 Abril 2016 | 20h12

RIO - O Corpo de Bombeiros encerrou na tarde deste sábado, 23, as buscas por mais possíveis vítimas do desabamento de um trecho da ciclovia Tim Maia, que liga Leblon a São Conrado, na zona sul do Rio, ocorrida na quinta-feira, 21, pela manhã. 

A decisão foi tomada tendo em vista o protocolo de 48 horas de buscas sem que nenhum parente reclamasse o desaparecimento de possíveis vítimas. O número oficial de mortos na queda da pista, portanto, é dois: Eduardo Marinho de Albuquerque, de 54 anos, engenheiro, e Ronaldo Severino da Silva, de 60, gari comunitário, foram resgatados na própria quinta.

No entanto, imagens gravadas por câmeras instaladas em um ônibus que passava pela Avenida Niemeyer no momento do acidente, às 11h12, que estão sendo analisadas pela Delegacia da Gávea, à frente do caso, mostram que havia cinco pessoas muito próximas ao ponto onde a pista caiu no mar. 

As imagens, onde se vê a onda que toma a ciclovia e parte da Niemeyer, não são nítidas, então não é possível afirmar se elas estavam a pé ou de bicicleta. O ônibus teve o para-brisa destruído pela força da água. Na quinta, testemunhas disseram ter visto mulheres, e não só homens, no exato local onde a pista despencou.

Mais conteúdo sobre:
Corpo de BombeirosTim Maia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.