Bombeiros flagrados tentando seqüestrar empresário são soltos

Dupla foi fotografada pelo 'Estadão' vestidos com roupas da Polícia Federal abordando homem

Pedro Dantas, do Estadão,

13 de novembro de 2007 | 20h30

Os soldados do Corpo de Bombeiros Tito Lívio de Paula Franco e Antônio Lázaro Silva França, flagrados pelo Estado quando tentavam seqüestrar o empresário M.A.S., no dia 15 de agosto, na Barra da Tijuca, foram soltos pela juíza federal Rosália Monteiro Figueira, da 1ª Vara Federal Criminal do Rio, que concedeu liberdade provisória à dupla.  Os dois - usando roupas falsas da Polícia Federal - foram fotografados agredindo, algemando e tentando colocar dentro de um carro preto equipado com um giroscópio o empresário M.A.S., na Avenida Armando Lombardi, uma das mais movimentadas do bairro nobre da Zona Oeste do Rio. Na ocasião, a dupla roubou R$ 30 mil do empresário. "É lamentável. O delegado aposentado, que comandava o grupo, está foragido, e agora os outros dois acusados foram soltos. Meu cliente está acuado, anda com seguranças e agora me informou que vai reforçar os cuidados", disse a advogada do empresário, Rossana Nogueira Barbosa. Em seu despacho, a juíza afirma que os acusados estão "devidamente identificados, têm atividade lícita (são servidores do Corpo de Bombeiros), comprovam que têm suas residências e família constituída". Ela acrescenta que não há provas que os dois irão "ameaçar, causar dano ou perturbar a ordem pública", assim como não há evidências de que eles "estão querendo evadir-se". Rosália estabelece que a única obrigação dos bombeiros flagrados será comparecer mensalmente em juízo a partir de 3 de dezembro para "justificar suas condutas sociais". Os bombeiros se entregaram a uma equipe da Delegacia Anti-Seqüestro após negociarem sem sucesso regalias para a rendição na 16ª Delegacia de Polícia (Barra da Tijuca), onde o crime foi cometido. No inquérito da Justiça Federal, os acusados respondem por falsidade ideológica e crime contra a fé pública. Além da dupla de bombeiros, o delegado aposentado da PF Paulo Sérgio Cardoso Figueiredo, de 57 anos, foi identificado e preso, mas fugiu da Polinter de Campo Grande, na noite do dia 27 de setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.