Anselmo Batista dos Santos|Arquivo Pessoal
Anselmo Batista dos Santos|Arquivo Pessoal

Bombeiros localizam aeronave com dois corpos em Paraty

Identidade das vítimas não foi divulgada; avião seguia de São Paulo ao litoral sul do Rio de Janeiro e desapareceu no domingo

Alfredo Mergulhão, O Estado de S. Paulo

04 de janeiro de 2016 | 10h43

Atualizado às 09h28 de 5/1

RIO - O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro localizou, na manhã desta segunda-feira, 4, o avião bimotor que estava desaparecido desde o domingo, 4, em Paraty, no interior do Estado. De acordo com a corporação, havia dois corpos dentro da aeronave, que foi encontrada em uma área de mata fechada, no bairro Corumbê. O supermercado Shibata, grupo proprietário da aeronave que havia saído de São Paulo, lamentou em nota o acidente que vitimou o piloto Sidney Prado Dantas e o copiloto Bruno da Costa Pereira. 

 

"A aeronave está destruída mas os corpos não foram carbonizados. Não teve explosão", disse o major Fábio Mário, comandante do quartel dos Bombeiros em Paraty. Equipes de peritos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) e da Polícia Civil estão no local. Eles tentam chegar ao ponto onde o avião caiu, que é de difícil acesso. Os corpos ainda serão levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Angra dos Reis. Parentes do piloto e do copiloto acompanham os trabalhos.

O avião seguia de São Paulo com destino a Paraty, no litoral sul do Rio, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O Cenipa informou que a aeronave do modelo King Air, prefixo PPLMM, decolou às 13h34 na capital paulista. A previsão de pouso em Paraty era para as 14h15, mas não houve confirmação de aterrissagem, contato com a torre nem informação de mudança de rota. 

Na tarde de domingo, o Corpo de Bombeiros recebeu ligações que relatavam um avião que sobrevoava a região de mata fechada entre os bairros de Corumbê e Graúna. Os relatos foram de um estrondo e, em seguida, pararam de escutar o barulho do motor da aeronave. 

Segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) do avião tem validade até dezembro do próximo ano. 

De acordo com a Infraero, a aeronave era operada pela empresa de táxi aéreo Aristek, que tem um hangar no Campo de Marte.Nesta segunda-feira, 4, porém, a Aristek negou que seja táxi aéreo e informou que serve somente de estacionamento para a aeronave. Segundo o chefe da seção de registro da Aristek, Igor Silva Lopes, o avião desaparecido era privado.

O bimotor pertence ao Supermercado Shibata Ltda., com sede em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, conforme registro de documentos da Anac.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.