Anselmo Batista dos Santos|Arquivo Pessoal
Anselmo Batista dos Santos|Arquivo Pessoal

Bombeiros localizam aeronave com dois corpos em Paraty

Identidade das vítimas não foi divulgada; avião seguia de São Paulo ao litoral sul do Rio de Janeiro e desapareceu no domingo

Alfredo Mergulhão, O Estado de S. Paulo

04 Janeiro 2016 | 10h43

Atualizado às 09h28 de 5/1

RIO - O Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro localizou, na manhã desta segunda-feira, 4, o avião bimotor que estava desaparecido desde o domingo, 4, em Paraty, no interior do Estado. De acordo com a corporação, havia dois corpos dentro da aeronave, que foi encontrada em uma área de mata fechada, no bairro Corumbê. O supermercado Shibata, grupo proprietário da aeronave que havia saído de São Paulo, lamentou em nota o acidente que vitimou o piloto Sidney Prado Dantas e o copiloto Bruno da Costa Pereira. 

 

"A aeronave está destruída mas os corpos não foram carbonizados. Não teve explosão", disse o major Fábio Mário, comandante do quartel dos Bombeiros em Paraty. Equipes de peritos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) e da Polícia Civil estão no local. Eles tentam chegar ao ponto onde o avião caiu, que é de difícil acesso. Os corpos ainda serão levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Angra dos Reis. Parentes do piloto e do copiloto acompanham os trabalhos.

O avião seguia de São Paulo com destino a Paraty, no litoral sul do Rio, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O Cenipa informou que a aeronave do modelo King Air, prefixo PPLMM, decolou às 13h34 na capital paulista. A previsão de pouso em Paraty era para as 14h15, mas não houve confirmação de aterrissagem, contato com a torre nem informação de mudança de rota. 

Na tarde de domingo, o Corpo de Bombeiros recebeu ligações que relatavam um avião que sobrevoava a região de mata fechada entre os bairros de Corumbê e Graúna. Os relatos foram de um estrondo e, em seguida, pararam de escutar o barulho do motor da aeronave. 

Segundo o Registro Aeronáutico Brasileiro, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) do avião tem validade até dezembro do próximo ano. 

De acordo com a Infraero, a aeronave era operada pela empresa de táxi aéreo Aristek, que tem um hangar no Campo de Marte.Nesta segunda-feira, 4, porém, a Aristek negou que seja táxi aéreo e informou que serve somente de estacionamento para a aeronave. Segundo o chefe da seção de registro da Aristek, Igor Silva Lopes, o avião desaparecido era privado.

O bimotor pertence ao Supermercado Shibata Ltda., com sede em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, conforme registro de documentos da Anac.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.