Bope afasta 6 PMs por suspeita de ficar com dinheiro do tráfico

Eles participaram de operação no Morro da Covanca e teriam achado em tonéis R$ 1,8 milhão do Comando Vermelho

Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

13 de julho de 2015 | 23h28

RIO - Seis policiais militares foram afastados do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), tropa de elite da PM do Rio, por suspeita de terem ficado com R$ 1,8 milhão apreendido com criminosos durante uma operação promovida nos Morros da Covanca e São José Operário, na Praça Seca, zona oeste da cidade, em 21 de junho. 

Na ocasião, a polícia encontrou um acampamento montado na mata e que serviria de base para traficantes. O local estava vazio, mas, segundo uma denúncia, havia R$ 1,8 milhão guardado em tonéis, que teriam sido recolhidos pelos policiais, mas que não foram apresentados na delegacia.

Os seis policiais afastados são os majores Marcelo de Castro Corbage e João Rodrigo Teixeira Sampaio, o capitão Renato Roberto Soares Junior, o cabo Álvaro Luiz Ferreira e os soldados Flávio da Silva Alves e Fábio Vidal Pedro.

De acordo com a nota publicada no boletim interno da PM na última sexta-feira, os seis vão cumprir funções administrativas em outras unidades. O caso está sendo investigado em sigilo. A apuração deve ser concluída em 60 dias.

O Morro da Covanca é dominado pela facção criminosa Comando Vermelho e, segundo a polícia, abriga o comando financeiro desse grupo. Na última quinta-feira, a polícia cumpriu mandados de busca e apreensão na casa dos seis PMs.

Ontem, o subcorregedor da Polícia Militar, tenente-coronel Márcio César Monteiro, esteve na sede do Ministério Público Estadual e conversou com os promotores que acompanham as investigações.

Os promotores já solicitaram à PM informações do GPS das viaturas que participaram da operação. Também foi pedida lista dos policiais que estiveram na ação no Morro da Covanca. A PM não comentou o caso.

Mais conteúdo sobre:
Rio de JaneiroBope

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.