Cabral reafirma 'compromisso de pacificar todas as comunidades'

Em nota, governador declarou que o objetivo da operação é 'garantir o ir e vir das pessoas'

Agência Estado,

27 Novembro 2010 | 21h03

RIO - Em meio ao agravamento da tensão no Complexo do Alemão, na noite deste sábado, 27, o governador do Rio, Sérgio Cabral, divulgou uma nota na qual esclarece que o objetivo da operação é "garantir o ir e vir das pessoas" e reafirma o "compromisso de pacificar todas as comunidades onde houver o domínio do poder paralelo".

 

"O momento é de retomada de territórios, de afirmação da ordem e do Estado de Direito Democrático", afirma o governador na mensagem. As forças policiais e militares mantiveram neste sábado, 27, pelo terceiro dia seguido, o cerco aos criminosos na zona norte do Rio.

 

Leia abaixo a íntegra da nota:

 

"As operações em curso no Rio de Janeiro, desenvolvidas por nossos policiais, pela Polícia Federal e pelas tropas militares, são essenciais para garantir o ir e vir das pessoas. É um direito básico, que é o nosso dever. O momento é de retomada de territórios, de afirmação da ordem e do Estado de Direito Democrático.

 

As equipes de Segurança vêm informando e esclarecendo à população sobre os acontecimentos, inclusive sobre o anúncio (hoje, 27/11) de um ponto de rendição aos bandidos.

 

O conjunto de ações no combate à criminalidade está recebendo o apoio da sociedade civil, o que nos estimula e reforça o fato de que estamos no caminho certo.

 

Estamos todos unidos. Todos com o mesmo propósito: seguir em frente sem qualquer recuo na busca da libertação das pessoas do poder de bandidos nas comunidades.

 

A referência e o poder nas comunidades - e em toda a sociedade - deve ser a do Poder Público, com pacificação e ações sociais em seguida. Isso já ocorre em várias comunidades, a partir das Unidades de Polícia Pacificadoras, as UPPs, contra as quais a bandidagem agora reage, porque as UPPs lhes tomaram os territórios.

 

A parceria do Governo do Rio com o Governo federal, em contatos diretos com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente eleita, Dilma Rousseff, e ministros de Estado beneficia diretamente à nossa sociedade. A população deseja e vai se libertar, porque não vamos recuar na nossa política de Segurança.

 

A população está confiante. Os nossos policiais estão orgulhosos por esse apoio.

 

É o meu compromisso, reafirmo, pacificar todas as comunidades onde houver o domínio do poder paralelo.

 

Sérgio Cabral, governador do Estado do Rio de Janeiro"

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.