Cai número de cruzeiros no Ano-Novo do Rio

Cai número de cruzeiros no Ano-Novo do Rio

Cinco embarcações vão acompanhar a queima de fogos em Copacabana; em 2015, foram dez

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

30 Dezembro 2016 | 03h00

RIO - A crise econômica chegou ao Píer Mauá, onde ancoram os navios de passageiros no Rio. O número de embarcações que vão levar seus passageiros para ver a queima de fogos em Copacabana, na zona sul, cairá pela metade, em comparação com o ano passado. Foram dez em 2015 e serão cinco neste sábado (31).

“Um dos fatores para essa redução é a crise econômica, mas há outro: o mercado de cruzeiros no mundo está sofrendo uma reacomodação, porque novos destinos se tornaram atraentes. Tem navio indo para Cuba, para China e para a África do Sul, por exemplo, três países que até recentemente não atraíam esse tipo de turismo. Então é natural que outros destinos percam público”, avalia o gerente de Operações do Píer Mauá, Alexandre Gomes, que desde a Olimpíada opera um novo terminal de passageiros, nos armazéns 4 e 5.

A véspera do Natal, por outro lado, registrou o maior movimento dos últimos dez anos, com quatro navios. "Ao longo do ano, a cidade ganhou novos atrativos, como a Orla Conde, a Praça Mauá reformada, o Museu do Amanhã e o Aqua-Rio, e o interesse dos turistas aumentou”, avalia o gerente de Operações do Píer. “Depois dessas mudanças, que foram bastante divulgadas em função da Olimpíada, navios que antes ancoravam em Cabo Frio ou outras cidades do litoral fluminense passaram a preferir o Rio”, conclui.

As 20 mil pessoas que desembarcaram no Píer em 24 de dezembro e passaram a véspera do Natal no Rio gastaram cerca de US$ 6 milhões na cidade. Elas estavam participando de cruzeiros nos navios MSC Preziosa, MSC Orchestra, Costa Pacifica e Costa Fascinosa.

Neste sábado, três desses navios vão repetir o passeio e estarão ancorados no Rio. Os 17 mil passageiros que vão desembarcar devem gastar até US$ 5,5 milhões na cidade, estima Gomes.

Movimento. A temporada de cruzeiros no Rio começou em 18 de novembro e segue até 1.º de abril. Nesse período, cerca de 350 mil passageiros e tripulantes vão desembarcar no Píer Mauá. Ao todo, serão 93 atracações – o número de navios é menor, porque vários passam pelo porto mais de uma vez.

Depois do Natal e do réveillon, a movimentação vai se intensificar novamente no carnaval: entre 24 e 28 de fevereiro, está prevista a chegada de sete navios ao Rio. 

Em março, o Píer Mauá deve receber o navio francês Le Soléal, primeira embarcação comercial do mundo a atravessar a rota marítima do norte (ligação entre o Atlântico Norte e o Oceano Pacífico). Com capacidade para 264 passageiros e com design assinado por Joel Bretecher, famoso por criações para a Ferrari, a embarcação chegará ao Rio em 13 de março e passará uma noite no Píer.

Desde julho, uma parceria entre o Píer Mauá e a Companhia Estadual de Águas e Esgoto (Cedae) permite que os dejetos produzidos nos navios ancorados no Rio sejam coletados e tratados em terra. Antes, o esgoto era lançado em alto-mar, como ainda ocorre em outros portos pelo mundo.

O novo sistema também oferece água potável às embarcações, por meio de encanamento. Antes, o abastecimento era feito por meio de carros-pipa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.