DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Cantor escapa da morte em explosão em São Conrado

Apartamento em que Carlinhos Vergueiro mora há cinco meses foi um dos mais afetados, mas ele estava em São Paulo

Roberta Pennafort, O Estado de S. Paulo

20 Maio 2015 | 15h54

RIO - O cantor e compositor Carlinhos Vergueiro acredita que poderia ter morrido caso estivesse em casa no momento da explosão em seu prédio em São Conrado, segunda-feira, 18, de madrugada. Seu apartamento foi um dos mais atingidos, mas ele estava em São Paulo, a trabalho.  

"Meu apartamento fica no oitavo andar, e a explosão foi no décimo. No nono, não tinha ninguém, então caiu muita coisa direto. Participei de um show em homenagem a Nelson Gonçalves no sábado e, desde então, venho brincando que o Nelson me salvou", contou Vergueiro nesta quarta-feira, 20, antes de entrar no apartamento para retirar pertences. Ele está hospedado na casa de um amigo. 

O imóvel havia sido alugado pelo cantor e sua mulher, a produtora Maisa Aguiar, cinco meses atrás. Eles saíram do bairro do Jardim Botânico, onde moravam havia 28 anos, e estavam gostando da vida em São Conrado. "Agora, essa desgraça. Estou sem-teto, mas estou vivo. Só preciso de trabalho e saúde", disse.  

"Entrei na segunda-feira por dez minutos, com os bombeiros, e recuperei documentos e um violão. Perdi a cozinha inteira, o teto do meu quarto caiu, o banheiro social acabou. Se eu estivesse lá, certamente estaria dormindo no quarto e poderia ter morrido." 

Vergueiro foi informado da explosão pelo telefone, na segunda-feira, e pouco depois chegou ao Rio. Ele lembrou que sempre gostou de voltar para casa imediatamente após um show, mas dessa vez preferiu dormir em São Paulo. "Curiosamente, quando terminou o show, no sábado, falei: 'Em outros tempos, iria para o Rio agora'. Sempre gostei de acordar em casa. Eu voltava no voo 'corujão'".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.