Facebook/Reprodução
Facebook/Reprodução

Capitã da Polícia Militar é presa por incitar greve no Facebook

Corporação considerou mensagens 'agressivas à sociedade' e deixará Ana Paula Moutinho detida administrativamente; ela ficou conhecida por amamentar bebê

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

10 Fevereiro 2017 | 11h22

RIO - A capitã da Policial Militar Ana Paula Moutinho, lotada no 31º Batalhão de Polícia Militar (Barra da Tijuca) foi presa administrativamente nesta quinta-feira, 9, por fazer incitação à greve da PM em seu perfil no Facebook. A PM considerou que suas mensagens eram "agressivas à sociedade". A policial ficará detida até domingo, 12.

O comando do 31º BPM tomou a medida em cumprimento ao regulamento disciplinar da Polícia Militar, informou a corporação. A greve de policiais militares é considerada inconstitucional. 

Em seu perfil, Ana Paula escreveu que a PM não iria atuar como de costume nesta sexta-feira, 10, e afirmou que a sociedade ficaria desguarnecida. 

"Só cuidaremos dos nossos! Fujam para as colinas", dizia a mensagem.

Nesta sexta-feira, amigos de Ana Paula demonstraram preocupação com sua situação e classificam como "injusta" a prisão.

Segundo a PM informa desde cedo, o policiamento no Estado do Rio está normal, ainda que familiares de PMs bloqueiem a frente de batalhões da PM, e a troca de PMs foi feita normalmente no turno da manhã.

Fama. A capitã ficou conhecida nas redes sociais em outubro do ano passado, quando amamentou um bebê durante uma ocorrência na Comunidade do Terreiro, no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste da capital fluminense. Ana Paula havia acabado de se tornar mãe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.