WILTON JUNIOR / ESTADÃO
WILTON JUNIOR / ESTADÃO

Celular do marido de Flordelis teria sido ligado na casa de senador

Aparelho sumiu após o crime e nunca foi encontrado; senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ) era próximo à família de Flordelis e não é investigado no caso. Informação foi divulgada pela TV Globo

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2020 | 17h37

RIO DE JANEIRO - O celular do pastor Anderson do Carmo, marido da deputada federal Flordelis (PSD-RJ), assassinado em junho do ano passado, foi conectado na rede de wi-fi da casa do senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ) horas após o crime. A informação foi divulgada pela TV Globo.

O aparelho sumiu dias após a morte do pastor e nunca mais foi encontrado. Segundo a reportagem, os investigadores descobriram que o celular foi conectado a um chip em nome de Yvelise de Oliveira, mulher do senador, e utilizado no wi-fi da casa deles, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. O casal sempre teve uma relação muito próxima com a família de Flordelis.

O senador não é investigado no caso, e Yvelise deverá depor na condição de testemunha. Nas redes sociais, Arolde de Oliveira chamou a matéria de “fake news”. 

“Único fato real foi o telefonema da minha esposa para dar os pêsames a deputada pela morte do Pastor. Estou indignado”, escreveu Arolde. “Eu e minha esposa estamos sem chão, nos sentindo caluniados e difamados.”

A Polícia Civil não quis comentar o caso, limitando-se a informar que a investigação sobre o assassinato corre em sigilo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.