Cemitério do Rio vai inaugurar monumento aos mortos pela covid-19

Cemitério do Rio vai inaugurar monumento aos mortos pela covid-19

O Crematório e Cemitério da Penitência, no Caju (zona portuária do Rio), inaugura às 10h30 deste domingo, 20, um monumento produzido pela arquiteta Crisa Santos, a obra chama Memorial In-finito

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

19 de setembro de 2020 | 12h00

RIO. O Crematório e Cemitério da Penitência, no Caju (zona portuária do Rio), inaugura às 10h30 deste domingo, 20, um monumento em homenagem aos mortos pela covid-19. Produzida pela arquiteta Crisa Santos, a obra chama Memorial In-finito, é feita em aço oxidado, tem 39 metros lineares e pesa 2,7 mil quilos.

A concepção do memorial começou em junho e envolveu cerca de 50 profissionais. Sua execução custou R$ 300 mil, pagos pelo cemitério. As famílias poderão fazer parte do monumento deixando os nomes dos seus entes talhados em placas. “Diferente da função de um memorial, esse foi concebido para homenagear todas as pessoas que não tiveram o direito de se despedir das pessoas que amam, através dos ritos fúnebres”, afirmou a arquiteta. “A idealização da obra a céu aberto foi para oferecer um local em que os visitantes possam meditar e se conectar com quem partiu. Isso ajuda a ressignificar a morte, especialmente na pandemia, que inviabilizou as despedidas”, disse Crisa, que possui especialização em neurociência pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e há dez anos estuda o comportamento dos enlutados.

O administrador do Cemitério da Penitência, Alberto Brenner Júnior, destaca que o memorial é extensivo a todas as famílias fluminenses, independente do local onde seus familiares foram sepultados. “Vamos acolher todas as pessoas que quiserem conhecer a obra e também fazer parte dela”, afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.