WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Chefe do MP do Rio critica pedido de federalização do caso Marielle

Procurador-geral de Justiça enviou ofício a substituto de Dodge se posicionando contrariamente à mudança na condução da investigação dos assassinatos. Eduardo Gussem destacou a efetividade das instituições fluminenses

Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

19 de setembro de 2019 | 01h05

RIO - O procurador-geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem, que é chefe do Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ), encaminhou nesta quarta-feira, 18, ofício ao procurador-geral da República interino, Alcides Martins, em que se opõe à transferência da investigação sobre o assassinato de Marielle Franco da Polícia Civil do Rio para a Polícia Federal. Essa medida foi proposta por Raquel Dodge em seu último dia como procuradora geral da República, esta terça-feira, 17.

Gussem lembrou que Dodge já havia proposto a mesma medida no ano passado, menos de 24 horas depois dos crimes, ocorridos em 14 de março. Naquela ocasião a medida acabou não sendo adotada.

No ofício, o procurador-geral de Justiça ressaltou que há constante colaboração entre os órgãos encarregados da investigação e que as instituições estaduais têm mantido postura efetiva e independente. Gussem mencionou ainda os encontros realizados com os familiares e advogados das vítimas, o mais recente deles ocorrido na sede do MP-RJ, na última segunda-feira, 16.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.