Choque da PM invade quartel dos Bombeiros no centro do Rio

Familiares dos profissionais e jornalistas se refugiam das bombas de efeito moral disparadas pelos policiais; categoria quer melhores salários

Ricardo Valota, do estadão.com.br

04 de junho de 2011 | 06h32

SÃO PAULO - Policiais militares do Batalhão de Choque resolveram agir efetivamente, às 6h05 desta manhã de sábado, 4, e iniciaram o processo de invasão do quartel general central dos Bombeiros localizado na avenida Visconde de Rio Branco, no centro da capital fluminense.

A ação do Choque se deu pela parte de trás do quartel. Bombas de efeito moral foram disparadas em direção ao pátio, onde bombeiros e parentes - esposas e filhos - estavam reunidos e tensos em razão de uma eventual invasão pelo portão da frente. Disparos de munição, não se sabe se letal, também foram ouvidos.

Parte dos bombeiros, com os disparos das bombas de efeito moral, aumentou o contingente em frente ao portão da frente para evitar uma invasão por aquela acesso. Os demais bombeiros posicionaram os veículos da corporação junto aos acessos existentes nos fundos no pátio para segurar a ação dos policiais militares do Choque.

Crianças e esposas dos bombeiros, assim como jornalistas, se refugiaram na região da cozinha e do refeitório. O gás lançado pelo policiamento tomou contra do pátio. Até as 6h30 desta manhã, não havia informações sobre feridos.

A assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Saúde, por meio de nota, informou que os cerca de dois mil bombeiros que invadiram o quartel serão presos por invasão de órgão público, agressão a oficial e desobediência à conduta militar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.