Google Street View/Reproduçaõ
Google Street View/Reproduçaõ

Cinco pessoas morrem em operação contra o tráfico na Cidade de Deus

O principal alvo da operação era o traficante Carlinhos Cocaína, de 48 anos, que não foi preso e continua foragido

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de agosto de 2019 | 00h36

RIO - Suposto confronto entre policiais e traficantes durante a Operação Pró-labore deixou cinco mortos nesta quinta-feira, 8, na  Cidade de Deus, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio. Desencadeada pela Polícia Civil, a operação pretendia cumprir sete mandados de prisão e 29 de busca e apreensão relacionados ao tráfico de drogas. 

O principal alvo da operação era o traficante Carlinhos Cocaína, de 48 anos. Ele, no entanto, não foi preso e continua foragido.

Embora não tenha conseguido prender o traficante, a Polícia Civil obteve na Justiça o sequestro de cerca de R$ 5 milhões em bens imóveis, incluindo uma casa em um condomínio na Freguesia, em Jacarepaguá. O imóvel é avaliado em cerca de R$ 2 milhões e pertence a Carlinhos Cocaína.

O espaço foi revistado pela polícia, que encontrou peças de vestuário de grife, móveis de luxo, câmeras de segurança, piscina e churrasqueira. Na casa, os agentes prenderam Adriana dos Santos, mulher de Carlinhos Cocaína.

Outras duas pessoas também foram presas na operação: José Luiz Martins e Luciene Ramos Parente. Eles são considerados “laranjas” da quadrilha, que emprestam seus CPFs para movimentar o dinheiro do tráfico por meio de contas bancárias em seus nomes.

“Durante o inquérito, comprovou-se que os indiciados realizavam o branqueamento de capitais oriundos do tráfico de drogas da Cidade de Deus, dominada pelo Comando Vermelho, contando com uma sofisticada cadeia de lavagem de dinheiro por meio de aquisição de propriedades imobiliárias com a intermediação de laranjas, imobiliárias, operadores e advogados”, disse o delegado Maurício Mendonça, titular da delegacia de polícia de Jacarepaguá./COM AGÊNCIA BRASIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.