Cirrus lamenta acidente com monomotor em nota oficial

A empresa informou ainda que a aeronave poderia apenas operar com gasolina de aviação

Da Redação,

03 de março de 2008 | 20h37

A Cirrus do Brasil divulgou no início da noite de segunda-feira, 3, uma nota em que lamentou o acidente de domingo e que informou que a aeronave poderia apenas operar com gasolina de aviação.  A seguir, a íntegra da nota: "A Cirrus Brasil lamenta o acidente ocorrido com a aeronave PR-IAO no aeroporto de Jacarepaguá no último dia 02 de março. Informa que as aeronaves Cirrus SR atendem a todos os requisitos de aeronavegabilidade exigidos pelas autoridades aeronáuticas do Brasil, Estados Unidos e Europa. Os projetos de nossas aeronaves foram exaustivamente testados e aprovados por essas autoridades e se baseiam em tecnologias consagradas no mercado mundial.  O modelo de aeronave que se acidentou, SR22, é movida por motor a pistão e foi certificada para operar com gasolina de aviação, chamada AVGAS. Por isso, possui essa informação em várias mídias como o manual de vôo, manual de treinamento e até no próprio bocal de abastecimento, onde é mantido impresso um aviso de alerta com o texto "AVGAS".  As primeiras informações liberadas pela investigação policial deram conta de que esta aeronave fora incorretamente abastecida com querosene de aviação (QAV) utilizada em motores a jato. Esclarecemos que do fabricante e suas revendas cabe tão somente fornecer aos proprietários das aeronaves os manuais correspondentes, bem como toda a documentação técnica e legal pertinente, ficando a cargo do piloto o cumprimento das normas técnicas previstas nos referidos manuais. A Cirrus Brasil continuará apoiando a investigação das autoridades brasileiras e prestando as informações que se fizerem necessárias."

Tudo o que sabemos sobre:
CirrusmonomotorRJgasolinaquerosene

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.