Com chuva e túnel bloqueado, Rio tem trânsito caótico nesta 4ª

Deslizamento fecha túnel, ruas ficam alagadas, falta luz nos bairros, semáforos não funcionam e param a cidade

24 Outubro 2007 | 11h38

O trânsito continuava caótico nas ruas do Rio de Janeiro no fim da manhã desta quarta-feira, 24, devido às interdições causadas pelos alagamentos na cidade. Nesta manhã, alguns pontos da cidade ainda registravam chuva forte. A Defesa Civil registrou 55 ocorrências após as chuvas que começaram na manhã de terça-feira, 23. O caso mais grave em toda a cidade foi o deslizamento de terra que causou a interdição do Túnel Rebouças, principal ligação entre as zonas norte e sul da cidade, e que parou a cidade.   Santos Dumont fecha e quase 60% dos vôos são cancelados Túnel Rebouças é fechado após deslizamento na zona sul do Rio  Prefeitura do Rio recomenda que população não saia de carro Previsão é que chuva continue por 48 horas no Rio   Nesta manhã, a Prefeitura recomendou que os motoristas deixassem o carro em casa e usassem o transporte coletivo. Os trabalhos de contenção de terra no Túnel Rebouças foram interrompidos devido à possibilidade de novos deslizamentos. Em toda a cidade, a Prefeitura registrava pontos de alagamento.   Também devido às chuvas, vários bairros do Rio ficaram às escuras nesta manhã. Moradores de Copacabana firam sem energia durante entre as 9 horas e 9h20. De acordo com a assessoria da Light, o apagão atinge partes do município de Nova Iguaçu; Anil e Freguesia, em Jacarepaguá; Cosmos e Barra da Tijuca, na zona oeste; Santa Teresa, na região central; e Tijuca, na zona norte.   O Aeroporto Santos Dumont, no centro, continuava fechou para pousos e decolagens às 11h30 desta quarta, e o Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim, na Ilha do Governador, zona norte, operava com a ajuda de instrumentos.   A Prefeitura do Rio de Janeiro chegou a recomendar à população que use o transporte coletivo nesta quarta-feira. Com isso, a SuperVia, responsável pelas linhas de trem da região metropolitana, manteve 100% da frota mesmo com o fim do horário de pico. A totalidade da frota vai continuar até que a situação do trânsito melhore, segundo a SuperVia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.