Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Com rolo compressor, PF e Exército destroem 4 mil armas de fogo

Foram esmagados fuzis, espingardas, revólveres, pistolas e até garruchas, espalhados em uma área no Batalhão de Manutenção e Suprimento de Armamento do Exército, na zona oeste do Rio

Constança Rezenda, O Estado de S.Paulo

02 de junho de 2017 | 17h03

RIO - A Polícia Federal e o Exército Brasileiro destruíram, na manhã desta sexta-feira, 2, cerca de 4 mil  armas de fogo, muitas delas apreendidas em ações policiais nos últimos dois anos. De acordo com a PF, o material destruído é resultado de investigações do órgão, da fiscalização das atividades de segurança privada ou foram entregues voluntariamente pela população. 

A cerimônia foi realizada no Batalhão de Manutenção e Suprimento de Armamento, na Vila Militar, em Deodoro, na zona oeste da capital fluminense. Um rolo compressor esmagou os fuzis, espingardas, revólveres, pistolas e até garruchas, espalhados no chão em uma espécie de passarela. Depois, os restos foram recolhidos por soldados, em carrinhos de mão.

A ação ocorreu um dia depois que Polícia Civil do Rio anunciou a descoberta de um carregamento de 60 fuzis ocultos em aquecedores de piscina enviados de Miami. O armamento estava no terminal de cargas do aeroporto internacional do Galeão. Quatro suspeitos foram presos.  Essas armas não foram incluídas no armamento destruído nesta sexta. A destruição das armas é atribuição do Exército, segundo o Estatuto do Desarmamento.

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    Polícia FederalMiami

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.