Divulgação
Divulgação

Comércio segue fechado na zona sul do Rio após morte de Fat Family

Lojas na Rua Pedro Américo e na Rua Santo Amaro estão fechadas; medida foi imposta por criminosos armados aos comerciantes e desafia a polícia

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2016 | 15h52

RIO - Um dia após a morte do traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, o Fat Family, de 28 anos, o comércio em ruas do Catete, na zona sul, continua fechado nesta terça-feira, 27. No bairro fica o Morro Santo Amaro, onde Fat Family chefiava o tráfico de drogas, controlado pela facção criminosa Comando Vermelho (CV). 

Lojas na Rua Pedro Américo e na Rua Santo Amaro, na base da favela, estão fechadas. A medida foi imposta por criminosos armados aos comerciantes e desafia a polícia, já que a delegacia do bairro, a 9ª DP, fica na Pedro Américo.

Segundo moradores, a “norma” deverá ser obedecida até as 16 horas, quando está previsto o sepultamento de Fat Family, no Cemitério de São João Batista, em Botafogo, zona sul.

Fat Family foi morto na manhã de segunda-feira, 26, por agentes da Coordenadoria de Recursos Humanos (Core) da Polícia Civil, em um matagal na favela Itaoca, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, cidade na Região Metrópole.

O bandido havia sido resgatado na madrugada de 19 de junho deste ano do Hospital Municipal Souza Aguiar, centro do Rio, por ao menos 25 traficantes armados com fuzis, pistolas e granadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.